Como o negacionismo apareceu ao longo da História?

Tornou-se pauta recorrente nos últimos tempos explicar o que é negacionismo, no entanto, não é de hoje que a ciência é colocada em xeque sem qualquer evidência contrária a ela. No artigo a seguir explicaremos mais detalhadamente o conceito de negacionismo e como ele apareceu no decorrer da história

Afinal, o que é negacionismo?

O negacionismo nada mais é do que negar uma realidade comprovada cientificamente. Lembrando que o método científico consiste em analisar fatos e evidências, realizando experiências.

Um exemplo claro de negacionismo é a negação da existência do Holocausto por alguns grupos. Os negacionistas desse evento não admitem a ocorrência do genocídio dos judeus ou não acreditam na proporção relatada pela história.

Contudo, devemos lembrar que o Holocausto foi vastamente pesquisado e estudado por historiadores. Há também depoimentos dos sobreviventes que corroboram as evidências históricas. O negacionismo, em outras palavras, nega algo que possui comprovação e sobre o que não há qualquer dúvida. 

Para os negacionistas do Holocausto, não houve qualquer tipo de perseguição dos nazistas a esse grupo. De acordo com essas pessoas, não existiam câmaras de gás para extermínio em massa e os judeus que perderam a vida nesse período morreram em decorrência da guerra. Há inúmeros registros palpáveis de que esses eventos ocorreram e que cerca de seis milhões de judeus foram perseguidos e assassinados pelos nazistas.

Como o negacionismo apareceu ao longo da história?

Anteriormente explicamos o conceito de negacionismo através do exemplo dos negacionistas do Holocausto, agora listaremos outros momentos históricos em que essa negação se fez presente.

Giordano Bruno 

O filósofo, matemático, religioso e teólogo Giordano Bruno (1548-1600) foi condenado à morte por ter ousado defender a existência de outros mundos, de vida em outros planetas e por ter questionado a natureza divina de Jesus Cristo.

Era relativamente comum que autoridades religiosas na Idade Moderna condenassem à morte aqueles que usavam a ciência para questionar os dogmas estabelecidos.

Galileu Galilei

O astrônomo, físico e engenheiro Galileu Galilei (1564-1642) foi processado pela Inquisição e se viu obrigado a negar as teorias heliocêntricas (o Sol como centro do universo) para não ter o mesmo destino de Giordano Bruno. A Igreja Católica era favorável ao geocentrismo (a Terra como o centro do universo), haja vista que esse conceito era reforçado por passagens bíblicas.

Movimento terraplanista 

Chega a ser no mínimo curioso que em pleno século XXI haja pessoas que acreditam que a Terra é plana. Porém, infelizmente o movimento terraplanista, como é conhecido, vem crescendo assustadoramente nos últimos anos. 

A comprovação de que a Terra é redonda é bastante antiga, para se ter uma ideia, o grego Eratóstenes, nascido no ano 276 a.C., já representava o planeta como uma esfera e chegou inclusive a medir sua circunferência. Os espanhóis, sob a liderança de Fernão de Magalhães, realizaram a primeira viagem de circum-navegação ao globo no começo do século XVI. 

Estamos falando sobre mais de 2 mil anos de ciência e comprovações irrefutáveis de que a Terra é redonda. Porém, ainda assim os adeptos do movimento da Terra plana distorcem fatos científicos para comprovar algo que claramente não faz sentido. 

Movimento antivacina 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou em 2019 uma lista contendo as 10 maiores ameaças à saúde. Um dos itens chamou a atenção do mundo para uma questão muito preocupante, o movimento antivacina. O medo e a desinformação a respeito das vacinas têm levado cada vez mais pessoas a não imunizar crianças e a não se imunizar. 

Essa recusa a se vacinar contribuiu para a ocorrência de surtos de doenças até então erradicadas. No Brasil, o surto de sarampo em 2018 foi uma das consequências do aumento de adeptos do movimento contrário às vacinas. Em meio à pandemia de coronavírus é extremamente alarmante que haja pessoas que se recusam a se vacinar. 

Movimentos como o antivacina e o terraplanista utilizam as redes sociais como ferramentas de difusão de desinformação. É essencial que as pessoas compreendam que precisam verificar as fontes do que estão lendo e a veracidade dos fatos relatados.

Negacionismo da Covid-19

Mesmo com as notícias recorrentes de milhares de mortes diárias em decorrência da Covid-19, há pessoas no mundo todo que não acreditam na existência do vírus ou do seu risco. Nesse grupo estão aqueles que acreditam que o vírus é uma invenção ou que pelo menos não causou óbitos na proporção noticiada. 

Essa negação diante de uma questão de saúde pública é bastante perigosa para a sociedade como um todo. A partir do momento em que as pessoas não acreditam no risco do vírus, não cumprem com as medidas sanitárias essenciais, como usar máscara, manter o distanciamento e lavar as mãos com frequência.

Inclusive, essa negação pode levar à recusa da vacina. O negacionismo é um mal que leva ao atraso, à ignorância e à morte em alguns casos.

Combata o negacionismo buscando fontes científicas e confiáveis!

Retornar ao blog