Como surgiu o islamismo?

Terça, 12 de Janeiro de 2021

Como surgiu o islamismo?

O islã é a segunda maior religião do mundo, ficando atrás apenas do cristianismo. O número de muçulmanos é de quase dois bilhões, o que representa praticamente um quarto da população mundial. Para saber como surgiu o islamismo e conferir outras informações relevantes sobre o assunto, é só continuar a leitura.

Como surgiu o islamismo? Quem foi seu criador?

O islamismo foi fundado no Oriente Médio pelo profeta Maomé, no século 6. Chamado de Muhammad pelos muçulmanos, ele nasceu em 570 dC em Meca, cidade da Arábia Saudita. Seus pais morreram cedo e ele foi criado por um tio que o ensinou a profissão de comerciante.

Nessa época, a população do Oriente Médio era formada por nômades e sedentários, povos que buscavam se fixar em uma região e que se organizavam em tribos. Em se tratando de religião, a grande maioria era politeísta, ou seja, acreditava em mais de um deus, apesar de haver alguns grupos judaicos e cristãos.

Por conta da profissão de comerciante e condutor de caravanas, Maomé tinha contato com pessoas de diversas crenças e acabou por conhecer o cristianismo, que é uma religião monoteísta. De acordo com os costumes islâmicos, enquanto meditava, recebeu a visita de um anjo que disse que ele seria profeta da palavra de Alá, o único deus existente.

Início da jornada como profeta

Maomé iniciou sua jornada como profeta pregando em Meca, sua cidade natal. No início, sua atitude não foi bem aceita porque ele passou a criticar as peregrinações voltadas para a adoração de divindades. Essa era uma grande tradição na região e uma das principais fontes de renda da população.

Por conta disso, Maomé e seus primeiros seguidores foram para a cidade de Medina, onde criaram a primeira comunidade islâmica. Aos poucos, mais e mais adeptos do islamismo foram surgindo, até que conseguiu superar o grupo que o havia expulsado de sua cidade de origem e liderar toda a Arábia Saudita.

O islamismo foi criado com base em conceitos cristãos, judaicos e outros costumes das tribos da região. Todas as mensagens que o profeta afirmava receber de Alá foram reunidas naquele que se tornou o livro sagrado dos muçulmanos, o Corão, sobre o qual falaremos mais adiante.

Morte de Maomé

Em 632 dC, aos 62 anos de idade, Maomé morreu e seu sogro, Abu Bakr, assumiu seu papel à frente do islã, tornando-se o primeiro califa, nome dado aos líderes muçulmanos. Dois anos depois, Abu Bakr morreu e foi sucedido por Umar, outro sogro de Maomé.

Sistema de califado

Seis anos depois de ter se tornado califa, Umar foi assassinado e substituído por Uthman, que era genro de Maomé. Quando este foi morto, foi a vez de Ali, que era genro e primo do profeta, assumir o papel de líder do islamismo.

Ao longo do reinado dos quatro primeiros califas, os árabes muçulmanos conquistaram grandes regiões do Oriente Médio, incluindo a Síria, a Palestina, o Irã e o Iraque. Além disso, o islã também se espalhou por países da Europa, da África e da Ásia.

O sistema de califado durou séculos e se transformou no Império Otomano, que controlou grandes regiões no Oriente Médio ao longo de quatrocentos anos. Assim foi até a Primeira Guerra Mundial, que colocou fim ao reinado Otomano.

Pilares do islamismo

Os muçulmanos seguem cinco pilares básicos, são eles:

Shahada: declarar a fé em Alá e a crença em Maomé.

Salat: orar cinco vezes ao dia (ao amanhecer, ao meio-dia, à tarde, ao pôr do sol e à noite).

Zakat: fazer doações aos necessitados.

Sawm: jejuar durante o Ramadã.

Hajj: fazer uma peregrinação à cidade de Meca pelo menos uma vez durante a vida. Este pilar é válido para muçulmanos adultos que tenham condições financeiras e saúde para cumpri-lo.

Diferença entre sunitas e xiitas

Quando Maomé morreu, iniciou-se um debate entre os muçulmanos sobre quem deveria assumir o seu lugar. Essa discussão gerou uma grande ruptura por conta das divergências de pensamento, resultando na criação de dois grupos: sunitas e xiitas.

Sunitas: representam quase 90% dos muçulmanos em todo o mundo. Eles defendem que os primeiros quatro califas foram os verdadeiros sucessores de Maomé.

Xiitas: acreditam que apenas Ali e seus descendentes são os verdadeiros sucessores de Maomé, negando a legitimidade dos três primeiros califas. Hoje, os muçulmanos xiitas têm uma presença considerável no Irã, no Iraque e na Síria.

Corão - O livro sagrado do islamismo

O Corão, também chamado de Alcorão, é o livro sagrado do islamismo e reúne textos e revelações recebidas por Maomé. Vale dizer que o profeta não sabia ler ou escrever e acredita-se que foram seus seguidores os responsáveis por registrar todo o conteúdo.

O livro foi escrito com Alá como a primeira pessoa, falando através do anjo Gabriel a Maomé. O Corão contém 114 capítulos, que são chamados de suratas. Estudiosos acreditam que a obra foi finalizada logo após a morte de Maomé, sob a orientação do califa Abu Bakr.

Para conferir mais conteúdos de história e conhecimentos gerais, navegue por outros artigos do Blog do Hexag!