Temas para redação – O que já vimos nas edições anteriores do Enem?

Conhecer os temas para redação dos anos anteriores do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) é uma forma de se preparar para essa importante etapa da prova que pode garantir a tão sonhada vaga no ensino superior. Candidatos que não conseguem um bom desempenho no desenvolvimento do texto dissertativo-argumentativo, reduzem as chances de vencer os concorrentes nos cursos mais concorridos.

Embora não seja possível prever o tema da redação, o candidato tem ferramentas de estudo para se preparar adequadamente para atender às expectativas dos corretores. Independentemente do tema, é essencial demonstrar domínio da linguagem escrita culta e do uso de argumentos para defender o seu posicionamento. A seguir você poderá conferir os temas das edições anteriores do Enem e ter uma ideia do que o aguarda.

Temas para redação do Enem: o que vimos nas edições anteriores?

A redação tem grande peso para a nota dos candidatos e faz uma grande diferença para ingressar nos cursos mais concorridos. Há casos de redações que alcançam a nota máxima de 1.000 pontos, quem sabe você não entra para esse ranking também.

Redação do Enem de 2019: “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”

O tema da prova de 2019 surpreendeu os professores pelo fato de solicitar aos candidatos um recorte da situação do Brasil. Essa era uma tendência desde o ano de 2014 e que foi deixada de lado em 2018.

Os especialistas que tentam prever os temas da redação até apostavam em temas relacionados ao acesso à cultura em nosso país, mas não especificamente o cinema e sim a cultura como um todo.

Para os candidatos, esse tema teve como ponto positivo a proximidade à sua realidade, ou seja, era mais simples pensar a respeito de intervenções práticas para aumentar o acesso a essa forma de cultura. Diferentemente de alguns anos, em 2019, a redação teve um tema sobre o qual grande parte dos estudantes tem conhecimento e experiências pessoais para usar de base.

Caminhos para a redação

Os textos oferecidos como base para os estudantes pela própria prova apontavam para o posicionamento a favor da democratização de acesso ao cinema como uma forma de fomentar a cultura. Esperava-se que os candidatos abordassem questões como o número de salas de cinema do país, o valor elevado dos ingressos e, até mesmo, as novas formas de acesso a filmes, como as plataformas de streaming como a Netflix.

As intervenções sugeridas deveriam oferecer soluções para que pessoas que atualmente não têm acesso ao cinema pudessem ter essa experiência enriquecedora do ponto de vista cultural. Lembrando que todos os pontos levantados no desenvolvimento e todas as intervenções propostas deveriam estar alinhadas com a realidade brasileira.

Redação do Enem de 2018: “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”

Um tema bastante específico para a realidade de 2018, em que se discutiu mais amplamente o uso deliberado de algoritmos para influenciar as escolhas das pessoas, inclusive no âmbito político. Algo interessante é que duas das três reportagens usadas como base de leitura eram de 2016.

Embora a questão do uso dos dados dos usuários da internet já fosse uma preocupação em 2016, foi somente em 2018 que ficou realmente evidente a dimensão do tema em nosso cotidiano. Esse, com certeza, é um tema complexo porque oferece diversas possibilidades de leitura, algumas bem distantes da visão crítica esperada pela banca. Os estudantes precisavam delimitar criticamente a sua abordagem do tema.

Caminhos para a redação

Algo que a banca esperava dos estudantes em 2018 era o entendimento da influência exercida pelos algoritmos de sites como Facebook e Twitter, pois somente quem entende a forma como é influenciado demonstra capacidade crítica para sair da sua bolha e debater de maneira relevante para seu crescimento pessoal e profissional.

Embora muito se tenha falado a respeito das notícias falsas em 2018, esse não era exatamente um tópico de abordagem sugerido, o foco deveria estar no uso dos dados dos usuários para direcionar suas escolhas. Quando se tem um tema tão complexo e amplo, o melhor é dar ênfase para as palavras-chave. Nesse caso, as palavras eram: manipulação, comportamento, usuário e internet.

Leia com atenção os textos base fornecidos pela prova e você entenderá qual é o direcionamento esperado pela banca, assim como terá bons argumentos para trabalhar no desenvolvimento.

Atenção à constitucionalidade das propostas de intervenção

Outro ponto essencial quando se trata de redação do Enem é se atentar para não propor intervenções que sejam contrárias aos direitos humanos, algo que rende nota 0 na competência 5.

Saiba discernir o que está dentro da legalidade da Constituição e o que não está. Não é plausível propor o fim da liberdade de expressão, por exemplo, porém, é possível sugerir o fim do anonimato da internet, uma vez que não é um direito previsto na Constituição.

Redação do Enem de 2017: “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”

Em 2017, a redação do Enem abordou o direito constitucional que os surdos, assim como todos os cidadãos, têm à educação e os desafios para que eles possam ser integrados à sociedade.

Os textos base fornecidos pela prova apresentaram tanto os pontos legais do direito à educação pelos surdos como a exclusão decorrente de preconceito desses cidadãos do mercado de trabalho.

Quando o tema da redação é sobre a exclusão de algum grupo, a melhor abordagem é sempre propor intervenções de inclusão. Apesar de não ser um assunto tão discutido pela grande mídia, é um tema que permite algumas reflexões a respeito das dificuldades que os surdos têm para ter acesso ao seu direito a educação. Como em outras edições anteriores do Enem, a proposta era promover uma discussão a respeito de grupos marginalizados que precisam ser incluídos.

Caminhos para a redação

Não fugir do tema é o principal desafio em redações como a de 2017, o melhor caminho é abordar de forma direta a educação, ou seja, o candidato deveria argumentar a respeito da educação dos surdos.

Alguns estudantes podem se desviar do tema central, abordando tópicos como a marginalização dos surdos perante a sociedade, no entanto, a redação pede que se fale a respeito da formação educacional do grupo.

Mais uma vez, a atenção para as palavras-chave é crucial, além de surdos o tema pede atenção para a palavra educacional. A banca esperava dos estudantes propostas de intervenção focadas em soluções para a inclusão dos surdos, sugestões de como aumentar a qualidade do ensino para essas pessoas. Lembre-se de que pensar na inclusão é sempre o caminho nesse tipo de proposta de redação.

Tirar uma nota alta na redação é possível com um bom preparo e conhecimentos de temas atuais!

Retornar ao blog