Muralha da China: por que foi construída?

Conhecida também como a Grande Muralha, a Muralha da China é uma construção arquitetônica gigantesca que intriga os historiadores. A construção data do período da China Imperial e acredita-se que tinha função militar. 

Contudo, um estudo recente identificou a possibilidade de que um trecho da muralha tinha finalidade de fiscalização e possivelmente até de cobrança de taxas dos interessados em atravessá-la. Que tal entender um pouco melhor continuando a leitura?

Muralha da China: a construção

Grandiosa, a Muralha da China foi construída ao longo de dois milênios, abrangendo diversas dinastias (sequência de governantes, reis, soberanos, príncipes e reis que fazem parte da mesma família). Sua constituição não é apenas uma estrutura, ela é formada por diversas muralhas. 

Acredita-se que a construção teve início com finalidades militares. Atualmente, é um dos principais símbolos chineses e um dos pontos turísticos mais famosos do mundo. O início da construção teve início em 220 a.C. e o seu término foi concluído na dinastia Ming, no século XVI. 

Para erguer uma obra arquitetônica desse porte, foi necessário contar com a mão de obra de milhões de trabalhadores. Desse grupo, milhares perderam a vida para concretizar essa construção. Para se ter uma ideia, os colonizadores europeus se surpreenderam ao se deparar com o grau de desenvolvimento tecnológico das civilizações da China e da Índia. 

Devemos lembrar que eram tempos remotos e essas civilizações já tinham sido capazes de grandes feitos. Os chineses dominavam conhecimentos de astronomia, cartografia, artes, matemática e engenharia. Uma prova disso é a construção da própria muralha. As edificações foram sabiamente planejadas. 

A Muralha

A Muralha da China é um dos principais exemplos da aplicação de conhecimento de engenharia. Trata-se de uma construção arquitetônica de grande porte com aproximadamente 8.851,8 quilômetros de extensão, 7,5 metros de altura e 3,75 metros de largura. A construção reconhecida como uma das sete maravilhas do mundo é tida como uma das obras mais fantásticas já realizadas pelo ser humano. 

A construção da muralha teve início como uma forma de consolidar o império Qin Shihuang. Os estados chineses tinham cada um a sua muralha antes da concentração do controle do território. O primeiro imperador chinês Qin Shihuang decidiu dar início a esse ousado projeto de engenharia, que tinha também a função de conter a invasão de povos nômades. 

A construção prosseguiu ao longo de quatro dinastias: Zhou (1046 a 256 a.C.), Qin (221 a 207 a.C.), Han (206 a.C. até 220 d.C.) e Ming (1368 a 1644). Uma função secundária da construção era dar ocupação a homens desordeiros e soldados sem trabalho com o fim das guerras. 

Objetivo militar da construção da Muralha da China

O objetivo central da construção da Muralha da China era militar, os chineses desejavam impedir que as tribos nômades provenientes da Manchúria e Mongólia entrassem em seu território.

Logo, a construção tinha a função de proteger o norte da China desses invasores. Ressaltamos que o objetivo militar foi o principal objetivo, podendo haver outras razões ainda não identificadas. 

A Muralha da China teria sido construída para mais alguma finalidade?

Por muito tempo, os historiadores assumiram que a única motivação para a construção da Muralha da China era militar, ou seja, de proteger o território chinês de invasores. No entanto, um estudo empreendido pela Universidade Hebraica de Jerusalém, em Israel, publicado na Antiquity aponta que o controle do tráfego de pessoas seria apenas um dos motivos. 

Com a liderança do arqueólogo Gideon Shelach-Lavi, um grupo de cientistas foi incumbido de mapear pela primeira vez o trecho conhecido como Linha do Norte, que possui 740 quilômetros.

Pelo fato de atravessar diversos vales e ser relativamente baixo, esse trecho da construção se mostrava ineficiente para os objetivos militares. Sendo assim, se descartou a hipótese de que a muralha teria serventia apenas militar.  

O grupo de cientistas concluiu que esse trecho tinha uma função muito mais de monitoramento do que de bloqueio do movimento de pessoas e animais. É possível que quem passasse por essa região fosse taxado e que os grupos locais fossem em busca das pastagens mais quentes ao sul da construção da muralha durante os períodos de frio mais intenso. 

Essa grandiosa construção se prolonga por mais de 21 quilômetros e levou centenas de anos para ser concluída. Esse trecho estudado pelo grupo de cientistas, a Linha do Norte, é chamada também de Muralha de Genghis Khan. Uma referência ao conquistador mongol que se tornou lendário. A construção desse trecho se deu entre os séculos 11 e 13. 

Mapeamento com drones

O estudo da Linha do Norte da Muralha da China, realizado pelo pesquisador Shelach-Lavi e sua equipe, utilizou desde ferramentas arqueológicas tradicionais até imagens de satélite de alta resolução passando por drones.

Com esse estudo tão criterioso, foram identificadas características que contribuíram para a determinação de datas. Esse trecho da muralha havia sido ignorado por cientistas contemporâneos até a publicação desse estudo. 

Gostou de conhecer um pouco mais sobre a Muralha da China?

Retornar ao blog