Cultura Afro-Brasileira: o que é, características, costumes

A origem da cultura afro-brasileira está relacionada ao tráfico transatlântico de escravos que trouxe milhões de africanos à força para nosso país. Essa triste história está por trás da formação da maior população de origem africana fora da África.

Ao longo do tempo, somou-se à cultura dos africanos influências indígenas e europeias em nosso território. Essa cultura permanece em constante desenvolvimento.

Cultura afro-brasileira: o que é?

No Brasil, o conjunto de manifestações culturais predominantes é o da cultura afro-brasileira. Ela é o resultado da soma de elementos da cultura de povos africanos, trazidos para nosso país como escravos, e influências indígenas e européias presentes no Brasil no período colonial. 

Principais características da cultura afro-brasileira

A característica mais marcante da cultura afro-brasileira é o fato de não ter homogeneidade cultural no território nacional. Os africanos trazidos à força para o Brasil tinham origens distintas.

Para manter suas práticas e representações culturais, esses povos se viram obrigados a fazer apropriações e adaptações. Por esse motivo, é relativamente comum se deparar com a herança cultural africana na forma de novas práticas culturais. 

Costumes, manifestações e rituais africanos eram proibidos, a perseguição legal apenas teve fim na década de 1930, durante o regime do Estado Novo de Getúlio Vargas. Esses elementos formadores da cultura afro-brasileira passaram a então ser valorizados e celebrados.

Em 2003, foi promulgada a lei nº 10.639 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação). A lei exige que todas as escolas de ensino fundamental e médio incluam em seus currículos o ensino da história e também da cultura afro-brasileira. 

Grupos de destaque no Brasil

No Brasil, há dois grupos de maior destaque dentro da cultura afro-brasileira: Bantos e Sudaneses. Os Bantos foram trazidos do Congo, Angola e Moçambique. Já os sudaneses foram trazidos da África Ocidental, do Sudão e Costa da Guiné. 

Os estados brasileiros mais povoados pelos povos africanos foram: Bahia, Rio de Janeiro, Maranhão, Pernambuco, Minas Gerais, Alagoas, São Paulo, Espírito Santo e Rio Grande do Sul.

A região nordeste recebeu um número significativo de escravos. Já a região sudeste foi povoada por esses povos em decorrência da migração após o fim do ciclo da cana-de-açúcar. 

Cultura afro-brasileira: costumes e influências 

A história e a memória do nosso país perpassam a cultura afro-brasileira. Essa cultura faz parte dos costumes e tradições do Brasil, pode ser observada no folclore, na mitologia, na língua (escrita e falada), na dança, na música, na gastronomia, enfim, em todo o panorama cultural do nosso país. A seguir iremos falar um pouco mais sobre esses costumes e influências tão relevantes para o nosso entendimento de cultura.

Festividades populares 

Dentre as festividades populares brasileiras que estão relacionadas à cultura afro-brasileira estão o Carnaval, a Festa de São Benedito e a Festa de Yemanjá. Tem como pensar no Brasil sem lembrar imediatamente do carnaval? Essa é a maior festa popular do país e se destaca no mundo todo por seu grande porte. 

Por sua vez, a Festa de São Benedito é a principal festa do Congado (uma expressão da cultura afro-brasileira). É celebrada no fim de semana depois da Páscoa. Outra festa que se destaca é a de Iemanjá, realizada no dia 2 de fevereiro. 

Música e dança

Podemos observar a grande influência da cultura afro-brasileira no Brasil através de expressões como Samba, Carimbó, Maculelê, Jongo, Maracatu e Maxixe. Os instrumentos utilizados nesses ritmos são variados com destaque para o berimbau, o atabaque, o afoxé e o tambor. 

Tais expressões musicais se refletem também em expressões corporais. Esses ritmos têm suas formas próprias de dança. Alguns exemplos são o samba de roda (variação do samba) e o Maculelê (dança folclórica brasileira).

Outras expressões que unem música e dança e tem influência afro-brasileira são o tambor de crioula, danças rituais e estilos mais contemporâneos como o axé baiano e o samba-reggae. 

Não podemos deixar de citar também a capoeira, mistura de artes marciais, música e dança. Durante muito tempo essa manifestação foi proibida no Brasil. Em 2014, a capoeira foi declarada como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

Gastronomia

A gastronomia brasileira tem diversas manifestações próprias da cultura afro-brasileira. Essa cultura foi a responsável pelo começo do uso de panelas de barro e pela introdução de alimentos como feijão preto, leite de coco, quiabo, entre outros.

Os alimentos que mais se destacam são os que fazem parte da culinária baiana, aqueles preparados com azeite dendê e pimentas. O destaque fica para o vatapá, o abará e o acarajé. 

Outro prato famoso é o Quibebe nordestino, que é feito com carne-de-sol ou charque. Os doces de pamonha e cocada também fazem parte da cultura gastronômica.

Claro que a feijoada também precisa ser citada. Os escravos criaram a feijoada brasileira como uma apropriação da feijoada portuguesa. O prato era feito com os restos de carne deixados pelos senhores de engenho. 

Religião

O sincretismo com a religião católica é a principal característica da religião afro-brasileira. Aspectos do cristianismo eram aliados às tradições religiosas dos povos africanos. Os santos eram associados aos orixás para que os escravos pudessem manter as suas práticas religiosas. 

Basicamente, os africanos faziam uma conversão aparente para o catolicismo, mas mantinham suas tradições religiosas. Foi assim que nasceu o sincretismo Xambá, Batuque, Umbanda e Macumba. Foram preservadas algumas variações africanas da Cabula, Quimbanda e Candomblé. 

A cultura afro-brasileira é um dos pilares da cultura brasileira como um todo!

Retornar ao blog