Força de Ácidos e Bases

As classificações de força de ácidos e bases indicam, respectivamente, a quantidade de íons produzidos e liberados. A seguir iremos explicar como são feitas essas classificações tão relevantes para a Química.

Força de Ácidos e Bases: entendendo as classificações

Como mencionamos acima, a função dessas classificações de força é indicar a quantidade de íons produzidos por ácidos e liberados por bases. Continue a leitura para entender quais são as escalas de força e como tal classificação é feita.

Ácidos

Os ácidos são substâncias que possuem a capacidade de sofrer o fenômeno de ionização. Basicamente em contato com a água, os ácidos, produzem um cátion (H3O+) e um ânion (X). Para entender melhor confira a equação a seguir:

HX + H2O H3O+ + X

Quando em contato com a água, os ácidos produzem íons, de maneira que têm como uma de suas principais características a capacidade de conduzir eletricidade. A presença dos íons em água é o que permite que os ácidos conduzam eletricidade. Essa produção de íons é o que recebe o nome de força. Os ácidos podem ser fortes, moderados ou fracos.

Confira mais detalhes sobre essa classificação.

Ácidos: fortes, moderados e fracos

A quantidade de íons produzidos pelo ácido é o que determina se ele é forte, moderado ou fraco. Os ácidos que produzem uma quantidade grande de íons são fortes. Por sua vez, os ácidos que não produzem nem muitos e nem poucos íons são moderados. Por fim, os ácidos que produzem uma quantidade pequena de íons são classificados como fracos. 

Tal classificação depende do tipo de ácido que estamos analisando, pode ser um hidrácido (aquele que não possui oxigênio em sua composição) ou oxiácido (o que tem oxigênio na sua composição). 

Hidrácidos

Os únicos hidrácidos fortes são:

  • HBr (ácido bromídrico)
  • HCl (ácido clorídrico)
  • HI (ácido iodídrico)

Há apenas um hidrácido moderado:

  • HF (ácido fluorídrico)

Todos os demais hidrácidos que não citamos são fracos, como:

  • H2S (ácido sulfídrico)
  • HCN (ácido cianídrico)
  • HNC (ácido isocianídrico)

Oxiácidos

Há uma forma prática de descobrir qual a classificação de força de um oxiácido. Para isso, basta subtrair o número de oxigênios do número de hidrogênios ionizáveis da fórmula.

Oxiácidos fortes

São fortes os oxiácidos cuja subtração for igual ou a superior a 2, como:

H4P2O7 (ácido pirofosfórico) 4 – 2 = 2

Oxiácidos moderados

Aqueles cujo resultado da subtração é 1, como:

H3PO4 (ácido fosfórico) 4 – 3 = 1

Oxiácidos fracos

É a classificação nos casos em que o resultado da subtração é 0, como:

HBrO (ácido hipobromoso) 1 – 1 = 0

Importante!

Há uma exceção para essa regra, o H2CO3 tem como resultado da subtração 1. No entanto, é um ácido fraco, algo que foi comprovado experimentalmente. 

Cálculo do grau de ionização

Outra forma de identificar a força de um ácido é através do cálculo do grau de ionização (α) através da seguinte fórmula:

α = n° de moléculas ionizadas

     ______________________

    n° inicial de moléculas

A partir desse resultado, é possível classificar a força do ácido da seguinte forma:

Forte – α 50%

Moderado – 5% < α < 50%

Fraco – 5% α

Bases

A classificação de força das bases diz respeito à capacidade delas de sofrerem dissociação quando em contato com a água. Geralmente, quando uma base é adicionada à água libera um cátion qualquer e um ânion (OH). Entenda melhor através da equação de dissociação abaixo:

         H2O

YOH  Y+(aq) + OH(aq)

 

A força de uma base é determinada pela quantidade de íons (cátion e ânion) liberada quando em contato com a água. As bases que liberam muitos íons são fortes e as que liberam poucos íons são fracas. 

Critérios para determinar a força de uma base

Conheça a seguir duas formas de determinar a força de uma base. 

1. Classificação com base no nome ou fórmula química
Bases fortes

Bases fortes são aquelas que sofrem dissociação facilmente. Tal característica pode ser identificada analisando o grupo Y que acompanho o hidróxido (OH) na fórmula química. Quando o Y da base for um metal alcalino ou metal alcalinoterroso (exceto no caso dos elementos berílio e magnésio) teremos uma base forte. Confira alguns exemplos: Rubídio (Rb); Lítio (Li); Cálcio (Ca), Rádio (Ra) entre outros.

Bases fracas

Bases fracas são aquelas que dificilmente sofrem dissociação. Essa característica pode ser identificada verificando se a base não conta com elementos das famílias IA e IIA. 

2. Grau de dissociação (α) das bases

Esse método de identificação da força de uma base indica a porcentagem de íons liberados por uma base quando ela sofre dissociação em água. A fórmula é a seguinte:

α = número de íons-fórmula dissociados

     ______________________________

     número de íons-fórmula total

Depois de fazer a divisão, é necessário multiplicar o resultado por 100 para chegar à porcentagem de dissociação. Quando o grau de dissociação é superior a 5% temos uma base forte. Nos casos em que esse grau de dissociação é menor do que 5% temos uma base fraca.

Agora você já conhece os conceitos de força de ácidos e bases! Navegue pelo blog do Hexag Online para conferir mais conteúdos de química e outras disciplinas!

Retornar ao blog