Verbo transitivo: direto, indireto e intransitivo. Entenda!

A compreensão da língua portuguesa é essencial, tanto para responder as questões gramaticais quanto para escrever a redação do vestibular. Entenda o conceito de verbo transitivo direto, indireto e intransitivo. Tenha certeza de que é mais simples do que parece. Então, vamos começar?

O que é verbo transitivo?

Verbos transitivos são aqueles que necessitam de complemento para que possam fazer sentido na frase em que estão sendo utilizados. O complemento em questão pode ou não ser seguido de preposição, é esse ponto que leva à classificação de verbos transitivos diretos, transitivos indiretos ou intransitivos.

Uma dica é se atentar para o fato de que o verbo transitivo é considerado “incompleto” por não conseguir dar sentido à frase sozinho. O sentido pode ou não ser revelado na oração. Confira o exemplo abaixo:

  1.   Sofia comprou balas.
  2. A caneca pertence à Susana

Na frase A, temos “Sofia” como o sujeito que realiza a ação de comprar. Nessa frase, o objeto da compra é “balas”. Nesse caso, foi necessário que o verbo fosse complementado por objeto para que fizesse sentido. Se você retirar o complemento a frase perde seu sentido e não dá para entender o que foi que Sofia comprou.

No exemplo B, temos “A caneca pertence”. Mas, pertence a quem? “À Susana”. Se não houvesse esse complemento, teríamos uma frase sem sentido.

Verbo transitivo direto

Os verbos classificados como transitivos diretos são aqueles que precisam de um objeto direto para completar o sentido na frase, mas que não demandam preposição obrigatória. É importante dizer que o objeto direto responde às perguntas: “o que?” ou “quem?”. Dessa forma, fica evidente qual é o elemento que sofre a ação do verbo. Confira o exemplo:

Juarez bebe suco.

Juarez bebe. Quem bebe sempre bebe alguma coisa, certo? Mas, o que? O verbo beber necessita de um complemento para que possa oferecer a informação completa. Juarez bebe suco. Logo, “suco” é o complemento nessa frase, que é chamado de transitivo direto por não demandar preposição entre o verbo e o objeto.

Confira a seguir mais alguns exemplos de verbo transitivo direto.

Verbo ler: “Laura leu os jornais”.

Verbo pagar: “Luísa pagou a conta”.

Verbo fazer: “Vocês fizeram a macarronada?”.

Verbo beber: “Lúcia bebeu chá”.

Verbo empurrar: “O garoto empurrou o carrinho de feira”.

Verbo atropelar: “A bicicleta atropelou o menino”.

Dica: Observe que o verbo transitivo direto necessita sempre de um complemento, mas esse não possui preposição.

Verbo transitivo indireto

A diferença entre os transitivos diretos e indiretos está no fato de que os últimos demandam o uso de preposição. O complemento, nesse caso, recebe o nome de objeto indireto. Confira o exemplo abaixo:

Acreditei na sua boa vontade.

Quem acredita, acredita em algo. Nesse caso, “na sua boa vontade”. Como nesse caso o complemento do verbo “acreditar” está precedido de preposição, temos um verbo transitivo indireto.

Fabiano precisa de ajuda.

Do que Fabiano precisa? Nessa frase é “de ajuda”. Para que a oração tenha sentido é necessário que o verbo seja complementado com preposição. Sem o complemento, o verbo “precisar” não transmite a informação toda. Por fim, “de ajuda” termina de dar sentido para essa oração.

Outros exemplos:

“Eu paguei ao funcionário”.

“Eu acredito em você”.

“O reitor concordou com as propostas”.

“Luiz obedeceu às ordens”.

Lista de verbos transitivos indiretos

Para que fique mais fácil a compreensão desse tema, listamos os principais verbos indiretos:

  • Acreditar;
  • Precisar;
  • Saber;
  • Gostar;
  • Necessitar;
  • Duvidar;
  • Conversar;
  • Lembrar;
  • Obedecer;
  • Responder;
  • Ingressar;
  • Suceder;
  • Simpatizar;
  • Concordar;
  • Comparecer.

Esses são alguns verbos que necessitam de complemento e preposição.

Dica: observe que o verbo transitivo indireto necessita sempre de um complemento e esse precisa de preposição.

Verbo intransitivo

Os verbos intransitivos são aqueles que não precisam de complemento, pois, sozinhos, já dão sentido à frase. O predicado é formado sozinho. Confira os exemplos abaixo:

Laís nasceu.

Vanessa chegou.

O Botafogo venceu.

Em alguns casos, os verbos intransitivos podem ser acompanhados de adjunto adverbial ou de predicado. Confira os exemplos abaixo:

Laís nasceu serenamente.

Vanessa chegou feliz.

O Botafogo venceu maravilhosamente.

Dica: o verbo intransitivo é aquele que tem sentido sem complemento.

Atenção!

É importante ficar atento, pois um mesmo verbo pode ser classificado como transitivo direto, transitivo indireto e até intransitivo. Tudo depende do significado que o verbo assume na frase em questão.

Por isso, lembre-se de que a classificação verbal depende do contexto em que o verbo está sendo utilizado. Confira o exemplo abaixo e observe como o contexto pode transformar a classificação:

Verbo agradar

“Luciane consegue agradar os clientes”. (verbo transitivo direto).

“É impossível agradar a todos”. (verbo transitivo indireto).

Então, esteja sempre atento ao contexto da frase para entender como o verbo deve ser classificado.

Os conceitos de verbo transitivo direto, indireto e intransitivo são essenciais! Para mais conteúdos de língua portuguesa, além de dicas para o Enem e o vestibular, navegue pelo blog do Hexag!

Retornar ao blog