Tudo sobre Atitude Filosófica

O conceito de Atitude Filosófica diz respeito ao rompimento com o senso comum direcionando um olhar de espanto para o que existe de mais convencional em nosso dia a dia. Consiste em contestar o habitual, pensando, assim, de uma maneira nova aquilo que é comum. Problematizar a realidade é o que move a filosofia, funciona como seu ponto central. 

A filosofia teve origem na Grécia antiga, por volta do fim do século VII a.C., como uma forma de questionar o conhecimento tradicional proveniente de mitos e crenças. Os gregos tinham como marca do seu senso comum a crença em mitos, logo, tomavam narrativas míticas como base para explicar os fenômenos recorrentes do dia a dia. Continue lendo para entender mais sobre o tema. 

O que é Atitude Filosófica?

Em linhas gerais, a atitude filosófica consiste em um comportamento baseado em posturas críticas alinhadas com a racionalidade em relação aos acontecimentos. É a postura crítica adotada pelo indivíduo frente às determinações e imposições sociais que define a atitude filosófica. 

Colocar em dúvida as regras e imposições sociais é essencial para desenvolver o que se entende como atitude filosófica. Quando a sociedade adota essa postura crítica, se torna mais questionadora, problematizando aquilo que é imposto e as padronizações realizadas. 

O posicionamento crítico do indivíduo é o que determina a atitude filosófica. O ser humano, enquanto um ser racional, enxerga o mundo e sua realidade de maneira diferente. Os cidadãos compreendem que precisam ter uma postura crítica, reativa e afirmativa perante aos problemas e questões que abalam a sua rotina. 

Ao adotar a atitude filosófica o homem deixa de ser levado e dominado pelos outros, passando a agir ativamente. As atitudes do próprio ser social, assim como as de outros atores que com ele convivem, passam a ser questionadas sob um viés racional.

Há quatro aspectos que complementam a definição da atitude filosófica, sendo eles: o espanto, o questionamento, o rigor e a insatisfação (espírito crítico).

O Espanto

A base da atitude filosófica é encarar como inédita toda e qualquer coisa que surge diante de seus olhos. Sendo assim, é correto afirmar que a filosofia nasce do espanto, do estranhamento do que aparentemente é habitual.

O filósofo precisa se manter posicionado com distanciamento de forma a perder o costume, o hábito diante até mesmo do que é convencional. Trata-se de se manter na posição de ignorante de forma que possa investigar aquilo que tem diante de si em busca de conhecer.

Não se parte do pressuposto que se conhece algo, é sempre necessário enveredar pelo caminho da busca. Aristóteles ressaltava a importância da perplexidade mesmo diante das dificuldades mais simples. 

O espanto – a perplexidade referenciada por Aristóteles – é o que move a atitude filosófica, uma vez que é aquilo que tira o indivíduo da inércia, lançando-o na busca pelo conhecimento. Platão também ressalta a relevância de olhar criticamente para a realidade em sua alegoria “O Mito da Caverna”. Buscar novos saberes é imprescindível. 

O Questionamento 

A atitude filosófica se inicia com a negação do senso comum que abre a perspectiva de questionamento. Trata-se de questionar e refletir a respeito das alternativas que possui, além daquela tida como convencional. O indivíduo deve primeiro negar os hábitos e costumes, para somente então poder passar pela aprovação da razão, afirmando ou concordando com alguma coisa. 

A primeira etapa do método proposto pela filosofia consiste em negar as certezas do senso comum. O ato de negar leva ao questionamento, à compreensão de que existe outra possibilidade. O filósofo grego Sócrates, conhecido como “pai da filosofia”, tinha como base de busca do conhecimento verdadeiro o questionamento. 

Os discípulos de Sócrates, incluindo Platão, passavam adiante que o mestre não fazia afirmações, uma vez que acreditava não poder ensinar nada a ninguém. O indivíduo deve refletir e encontrar por si as respostas para os problemas. A filosofia acredita que uma vida sem reflexão é uma vida que não vale a pena ser vivida. 

O Rigor

Os questionamentos devem estar pautados em uma base sólida, este é o rigor que rege a atitude filosófica. Deve-se evitar a ambiguidade, informações ou críticas que gerem quaisquer possibilidades de dúvida. 

O rigor consiste no elemento determinante para que o indivíduo não se valha de informações rasas ou falsas para responder aos seus questionamentos. O rigor junto à racionalidade cria bases de sustentação para a atitude filosófica. 

O Espírito Crítico (Insatisfação)

O fundamento da atitude filosófica é o espírito crítico. O indivíduo que recebe a alcunha de filósofo deve estar sempre acompanhado da incerteza constante, pois somente assim se coloca na trilha do conhecimento. Para ser filósofo é necessário despertar em si a necessidade de mudança. 

É o amor pelo conhecimento e a frequente inquietude que levam as pessoas a filosofar, se questionar a respeito de suas certezas propondo, assim, um conhecimento mais rico e amplo da realidade. 

Esse foi um panorama a respeito da atitude filosófica! Navegue pelo blog Hexag para conferir mais conteúdos informativos e educativos.

Retornar ao blog