Qual a importância dos movimentos sociais?

Os movimentos sociais consistem em ações coletivas com o objetivo de lutar por causas sociais, que são mantidos por grupos organizados. Em boa parte dos casos, esses grupos levantam bandeiras sociais de parcelas de pessoas excluídas do processo democrático. É uma forma de essas pessoas ocuparem seus espaços de direito dentro da sociedade.

Afinal, por que movimentos sociais são importantes?

Movimentos sociais têm grande relevância na formação de uma sociedade democrática. Como mencionado, eles geralmente dão voz para pessoas que estão, de alguma forma, excluídas do contexto social. Além de garantir os direitos desses indivíduos, esses movimentos contribuem para tornar a sociedade mais plural.

Conforme os movimentos sociais conseguem dar mais visibilidade para algumas pautas, surgem novas discussões. É interessante observar que os primeiros movimentos sociais tinham como objetivo ampliar os direitos políticos e sociais dos menos favorecidos financeiramente. Hoje em dia, muitos movimentos estão relacionados a pautas identitárias, voltadas para discussões sobre raça, gênero e orientação sexual.

Os movimentos sociais contribuem para direcionar a sociedade para um caminho mais democrático, em que todos os grupos possam ter voz. É possível perceber que esses movimentos ajudam a inserir novas discussões que, com o passar do tempo, se tornam temas normalizados. A evolução da sociedade está diretamente ligada aos movimentos sociais.

Movimentos sociais: conheça as suas características

Quando se tenta explicar os movimentos sociais de acordo com pensadores de áreas como filosofia e sociologia, é bastante difícil chegar a um consenso. Sociólogos como Marx, Weber e Durkheim, por exemplo, entendem esses movimentos como base de uma revolução, levantamento de um novo poder burocrático ou uma maior coesão social, respectivamente.

Já para pensadores mais conservadores – como o filósofo José Ortega y Gasset e o sociólogo e criminologista francês Gabriel de Tarde – enxergam nesses movimentos um grande perigo por terem a massificação como uma característica. Para esses pensadores, os movimentos sociais seguiam por caminhos irracionais que apenas perturbam a ordem estabelecida.

No entanto, também há convergências a respeito das características de movimentos sociais. A principal convergência é a de que eles eclodem quando há tensões sociais e podem levar a rupturas, com a consequência de mudanças sociais. É interessante observar que existe uma história antiga de tensões como pano de fundo de grandes movimentos sociais no mundo atual.

Queda da Bastilha

A Queda da Bastilha pode ser entendido como o movimento de massas mais antigo que deu início a um movimento social, um momento marcante da Revolução Francesa, em 1789. Tal movimento levou à queda da monarquia absolutista francesa.

Movimento Sufragista

O movimento sufragista também foi um grande movimento de massa que levou a um movimento social. Mulheres se organizaram para reivindicar direito ao voto e a participação cidadã na política. Considera-se esse movimento integrante da primeira onda feminista.

Como os movimentos sociais tiveram origem?

Sindicatos se institucionalizaram durante a passagem do século XIX para o século XX. O objetivo era defender os trabalhadores do regime de exploração em que trabalhavam. Com inspiração nos ideias do marxismo, surgiram diferentes movimentos sociais em várias partes do mundo. Surgiram também movimentos com inspiração anarquista que visavam uma revolução completa para alterar a ordem social vigente.

Nos anos 1960, surgiram movimentos, coletivos e ações por todo o mundo como uma resposta às consequências da Segunda Guerra Mundial e ao clima de polarização deixado pela Guerra Fria. Foi um momento em que ocorreu a diversificação das pautas defendidas pelos movimentos. Nos Estados Unidos e na África do Sul, por exemplo, eclodiu a revolta da população negra que era tratada com discriminação e mantida à margem da sociedade.

Também houve a organização de movimentos de mulheres que visavam assegurar seus direitos como um tratamento igualitário entre os gêneros e maior liberdade sexual, essa é considerada como a segunda onda do movimento feminista. A população LGBTQ+ também entrou na luta pelo direito se de expressar com liberdade sem segregação social.

Surgimento da Parada do Orgulho LGBTQ+

Um bom exemplo de um movimento de massa espontâneo que levou ao surgimento de movimento social grandioso foi um episódio ocorrido no Stonnewall Inn, em Nova Iorque.

O confronto com a polícia nessa noite levou ao nascimento da Parada do Orgulho Gay, que atualmente é chamada de Parada do Orgulho LGBTQ+. Várias cidades do mundo têm a sua parada, a de São Paulo é uma das mais famosas.

Movimentos sociais no Brasil

O Brasil possui alguns movimentos sociais de grande porte, como o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – chamado popularmente apenas de Movimento dos Sem-Terra) e MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto).

Essas são pautas de grande relevância pelo grande número de brasileiros que não têm acesso à terra para o trabalho rural ou a uma moradia. As demandas específicas do Brasil deram origem a movimentos sociais que visam resolver essas questões. Trata-se da luta para mudar uma realidade desigual e bastante cruel em uma série de aspectos.

Os movimentos sociais ajudam a inserir diferentes grupos à sociedade, dando voz para as suas causas.

Retornar ao blog