Paisagem em geografia, o que é?

O conceito de paisagem é bastante importante dentro da Geografia porque permite entender o espaço físico, partindo de um recorte específico. No artigo a seguir iremos apresentar o conceito e alguns exemplos para facilitar o entendimento. Boa leitura!

O que é paisagem em geografia?

Na Geografia, paisagem consiste em uma categoria de análise que permite estudar e compreender o espaço, partindo de um recorte específico. Em linhas gerais, trata-se de tudo aquilo que podemos identificar e interpretar através dos nossos sentidos (olfato, tato, visão, audição e paladar) em um lugar específico. Com o passar do tempo, as paisagens passam por alterações, alguns elementos de épocas diferentes podem coexistir. Na Geografia, paisagem consiste em uma categoria de análise que permite estudar e compreender o espaço, partindo de um recorte específico. Em linhas gerais, trata-se de tudo aquilo que podemos identificar e interpretar através dos nossos sentidos (olfato, tato, visão, audição e paladar) em um lugar específico. no mesmo espaço.

As paisagens podem ser classificadas como: naturais ou culturais/antrópicas. As paisagens naturais são aquelas que tiveram pouca ou nenhuma interferência do ser humano. Por sua vez, as paisagens culturais ou antrópicas são aquelas que são resultantes da transformação da atividade humana. 

Paisagem: recurso para entender o espaço

O espaço geográfico é objeto de estudo da Geografia e pode ser analisado e estudado através de um conjunto de categorias. Essas categorias possibilitam entender os fenômenos a partir de abordagens distintas. As categorias consistem em: região, território, lugar e paisagem.

De maneira geral, a palavra paisagem é relacionada a algo satisfatório para nossos olhos. Contudo, sob o ponto de vista geográfico, caracteriza-se também pela percepção através dos sentidos, adquirindo um significado mais amplo. Em suma, a paisagem na Geografia consiste no conjunto de todos os elementos presentes no espaço que podem ser captados, interpretados e percebidos pelos nossos sentidos. 

Há definições que limitam a noção de paisagem como aquilo que podemos ver no espaço, ou seja, o que pode ser captado por nossos olhos em um local específico. No entanto, os lugares não se constituem apenas de elementos visíveis como postes, carros, prédios, pessoas, rios, árvores, entre outros.

Também fazem parte desses lugares as sensações geradas por meio das interações, como cheiros e sons. Tais elementos são identificados por nossos outros sentidos, como audição, paladar, olfato e tato. 

Transformação

A passagem do tempo marca a transformação material das paisagens ainda que no ato da observação o foco esteja apenas no momento presente. A sociedade passa por mudanças e isso acarreta na alteração da maneira como interage com os elementos no seu entorno. Diferentes períodos históricos são marcados por formas distintas de trabalho. Há aspectos variados que se encontram expressos nas paisagens e assim passado e presente podem coexistir. 

Essa questão pode ser melhor compreendida através dos centros das grandes cidades. Em boa parte dos casos há estruturas de épocas anteriores, como edificações antigas que passam a ter funções distintas daquelas do passado, que convivem com edificações modernas. Dessa forma, temos amostras do passado e do presente existindo ao mesmo tempo.

Podemos observar o impacto da passagem do tempo em uma escala temporal menor, da manhã até o final da tarde. A paisagem dos centros urbanos costuma mudar completamente das primeiras horas da manhã até o final da tarde. Conforme o dia vai passando, as alterações podem ser mais facilmente observadas. Isso quer dizer que as modificações podem ser observadas em várias escalas de tempo. 

Questão de observação

A paisagem está diretamente relacionada aos sentidos, então, a percepção dos lugares não é a mesma para todos. É possível que duas pessoas observem a mesma paisagem, a partir do mesmo ponto de vista, e ainda assim a descrevam de formas bem diferentes. É uma questão de observação e de impacto dos sentidos. 

Conheça os diferentes tipos de paisagem 

Como citamos anteriormente, as paisagens podem ser classificadas em duas categorias: natural e cultural ou antrópica. Continue lendo para entender melhor os dois conceitos.

Paisagem natural

São classificadas como naturais as paisagens que apresentam majoritariamente elementos naturais. Esses espaços receberam pouca ou nenhuma modificação por atividades antrópicas. As transformações ocorridas no espaço são resultado da ação dos próprios agentes naturais. 

Paisagem cultural ou antrópica

Nessa categoria estão as paisagens que se formaram a partir da ação do ser humano. As atividades do homem podem levar ao surgimento de mudanças no espaço físico. Também podem estar nessa categoria aquelas que se transformaram por elementos da natureza que foram modificados por agentes da ação humana ou que foram incorporados depois. 

Confira exemplos de paisagem

Um exemplo de paisagem natural é o de áreas de clima extremo e inóspito. Também podem ser citados como exemplos montanhas e cadeias montanhosas, assim como reservas naturais e florestas. Paisagens naturais são aquelas formadas por elementos da natureza que não passaram por alteração da ação humana. 

Já como exemplos de paisagens culturais ou antrópicas podemos citar os grandes centros urbanos ou as plantações agrícolas de grande porte nas zonas rurais. As paisagens antrópicas são aquelas que se formaram a partir da intervenção humana. 

Agora você conhece o conceito de paisagem dentro da Geografia. Para conferir mais conteúdos como este, navegue pelo blog do Hexag!

Retornar ao blog