O que significa semântica?

O ramo da linguística responsável pelo estudo dos significados dos vocábulos da língua recebe o nome de semântica. Continue lendo para entender mais sobre esse termo e qual é a sua importância para o estudo da língua.

O que é semântica?

Como citamos acima, a semântica consiste no ramo da linguística responsável pelo estudo dos significados e/ou sentidos que os vocábulos da língua possuem. Essa palavra tem origem no grego “semantiká”, cujo significado é “sinal”. A semântica possui duas vertentes: Sincrônica e Diacrônica.

Semântica Sincrônica

Também chamada de semântica descritiva, é a vertente que estuda o significado dos vocábulos utilizados na atualidade.

Semântica Diacrônica

Trata-se da vertente da semântica que estuda o significado das palavras utilizadas em outros movimentos históricos. É também chamada de semântica histórica.

Uso da semântica

A semântica tem grande relevância por nos auxiliar a encontrar as palavras mais adequadas para diferentes discursos. Para conseguir comunicar uma ideia com clareza e transmitindo o real sentido da mensagem, é interessante recorrer à semântica, ou seja, ao conhecimento dos significados das palavras.

Quando se sabe quais são os significados que uma palavra pode ter em diferentes contextos, torna-se mais fácil saber se ela é ou não perfeita para o objetivo do seu discurso.

Conceitos importantes de semântica

Para que possamos usar o recurso do conhecimento dos significados das palavras é essencial conhecer alguns conceitos básicos desse ramo da linguística. Confira a seguir quais são esses conceitos.

Sinonímia

Sinônimos são palavras que apresentam significados parecidos como, por exemplo: frágil e fraco; usar e utilizar ou andar e caminhar. Vale o adendo de que a palavra sinônimo vem do grego e significa “semelhante nome”. A classificação é feita a partir da semelhança que um termo compartilha com outro.

São chamados de sinônimos perfeitos aquelas palavras que têm significados idênticos como, por exemplo: léxico e vocabulário ou depois e após. Por sua vez, recebem o nome de sinônimos imperfeitos aquelas palavras têm significados semelhantes, mas não idêntico como, por exemplo, riacho e córrego ou obeso e gordo.

Antonímia

Palavras antônimas são aquelas que possuem significados opostos como, por exemplo, triste e feliz; escuro e claro; mau e bom. Essa palavra também vem do grego e significa “nome contrário ou nome oposto”.

Homonímia

Palavras que possuem pronúncia ou grafia igual, mas significados diferentes são chamados de homônimos. Palavras com a mesma grafia e com a mesma sonoridade de pronúncia são chamados de “homônimos perfeitos”. Confira a seguir alguns exemplos:

Pelo (de animais) e pelo (através):

  • O cachorro possui pelo curto.
  • Cheguei até pelo caminho indicado.

Cedo (tempo) e cedo (de ceder):

  • Preciso chegar cedo amanhã.
  • Sempre cedo meu lugar no ônibus para idosos.

Paronímia

Palavras parônimas são aquelas cujos significados são diferentes, mas têm semelhança na pronúncia e na escrita. Confira os exemplos a seguir:

Soar (de som) e suar (transpirar):

  • O sino deve soar às 7h.
  • Vou suar muito na academia hoje.

Acento (sinal gráfico) e assento (lugar para se sentar):

  • Não se esqueça de colocar acento nas palavras do texto.
  • Espero encontrar um assento livre no ônibus.

Acender (de luz) e ascender (subir):

  • O atleta vai acender a pira olímpica.
  • Você vai ascender na empresa se continuar se dedicando.

Polissemia

A polissemia diz respeito aos múltiplos significados que uma única palavra pode ter. Alguns termos vão adquirindo novos significados com o passar do tempo, porém, ainda se mantêm relacionados com o significado original. Confira os exemplos a seguir.

Perna (de pessoas) e perna (de móveis):

  • Josi quebrou a perna ao cair.
  • A perna da cadeira está quebrada, tome cuidado!

Letra (de escrita) e letra (de canção):

  • A letra de José é simplesmente ilegível.
  • A letra dessa música é sobre um amor impossível.

Conotação

O uso conotativo das palavras demanda a interpretação do contexto em que elas estão inseridas. Basicamente, a conotação diz respeito ao sentido figurado, virtual e subjetivo de uma palavra. O campo semântico das palavras é ampliado quando se faz o uso conotativo das mesmas.

É comum que a conotação seja utilizada em textos poéticos para produzir sensações em que está lendo, confira os exemplos a seguir:

  • O amor é fogo que arde sem se ver.
  • A frieza do olhar de Júlia demonstra todo seu desprezo.

Denotação

Por sua vez, a denotação consiste no sentido real, objetivo e literal de uma palavra. Uma dica para se lembrar é pensar que denotação começa com “D” de dicionário, onde as palavras são apresentadas em seu sentido real.

O sentido denotativo se ocupa de explorar uma linguagem mais informativa, deixando de lado a linguagem poética (conotativa). Essa linguagem é bastante usada em trabalhos acadêmicos, manuais de instruções, bula de remédios, entre outros. Confira alguns exemplos abaixo:

No sítio da Fátima há cinco porcos.

A palavra “porco” pode ser empregada em sentido conotativo quando se quer ofender ou classificar a ação de alguém como repugnante.

Não foi aquele cara que comprou suas empadinhas ontem?

A palavra “cara” pode ser empregada em sentido conotativo como, por exemplo, na expressão “cara de pau”.

Agora você já sabe tudo sobre semântica! Navegue pelo blog do Hexag para conferir mais conteúdos de língua portuguesa e outras disciplinas!

Retornar ao blog