O que significa Internet das Coisas?

Ao longo dos últimos anos, o conceito de Internet das Coisas vem se popularizando, no entanto, muitos não tem uma compreensão exata a respeito. A IoT vai muito além de geladeiras conectadas à internet. Continue lendo para entender mais sobre esse ramo da tecnologia que promete fazer cada vez mais parte de nossas vidas.

Afinal, o que é Internet das Coisas?

Internet das Coisas – ou Internet of Things (IoT), em inglês – consiste em uma extensa rede de dispositivos conectados à internet. As “coisas” a que o conceito se refere não são dispositivos habituais que dependem da conexão com a internet, como smartphones, computadores e tablets.

A IoT é direcionada para outros equipamentos que fazem parte do nosso cotidiano, como geladeiras, lâmpadas, aparelhos de som, câmeras de vigilância ou fotográficas, fogão, entre outros.

Na primeira geração de produtos de IoT, também há o conceito de wearables (ou dispositivos vestíveis) que são voltados para o consumidor final, como pulseiras inteligentes e smartwatches, por exemplo. A ideia básica é adicionar aos objetos sensores que tornem possível a sua conexão com a internet.

Exemplos de Internet das Coisas

De maneira geral, qualquer coisa pode ser conectada à internet, no entanto, isso não quer dizer que, necessariamente, tudo deva receber tal conexão. Basicamente, a Internet das Coisas é um conceito pensado para tornar a vida dos usuários mais fácil. Alguns objetos do dia a dia podem ter seu uso facilitado e algumas tarefas podem ser automatizadas.

Um exemplo é o das lâmpadas de uma casa que podem ser programadas para apagar quando não houver ninguém no cômodo. Também é possível contar com o auxílio de aspirador robô para fazer a limpeza da casa após o horário em que todos estão dormindo. O ar-condicionado conectado pode ser programado para ser ativado cinco minutos antes da sua chegada, por exemplo.

A IoT aplicada a um fogão, permite que o aparelho detecte eventuais vazamentos de gás, relatando o mesmo para a fornecedora. Na área da saúde, essa tecnologia poderia facilitar a coleta de dados pelos hospitais a partir de dispositivos vestíveis do paciente. Com essas informações, seria mais fácil para os médicos fazerem o diagnóstico. Há inúmeras possibilidades de aplicação para o conceito de Internet das Coisas.

Internet das Coisas e o conceito de Cidades Inteligentes

O conceito de Cidades Inteligentes refere-se a projetos urbanísticos que têm como foco a eficiência, sustentabilidade e qualidade de vida. Para que possa ser colocado em prática, esse conceito depende do desenvolvimento da Internet das Coisas.

Acredita-se que em um futuro próximo haverá semáforos que abrem e fecham automaticamente de acordo com o ritmo do tráfego, veículos autônomos, sistemas que reaproveitam a água, entre outros.

Para que essa estrutura seja funcional, é fundamental contar com uma infraestrutura poderosa de dados para empresas de todos os portes e para os usuários. É nesse ponto que o 5G entra na história.

5G e a Internet das Coisas

O 5G é a próxima etapa de evolução das telecomunicações e promete entregar velocidades de download de até 100 Mb/s. Para quem se impressionou com a possibilidade de fazer downloads de conteúdos pesados, como filmes, deve se atentar para o fato de que esse não é, necessariamente, o foco do 5G.

Essa poderosa infraestrutura vem sendo desenvolvida observando que a cada ano bilhões de novos dispositivos são conectados à rede. No futuro, haverá trilhões de dispositivos conectados e, para atender as necessidades desse volume de conexão, é fundamental ter uma infraestrutura melhor. As redes atuais não foram pensadas para essa necessidade.

Empresas de grande porte, como a Intel, fecharam parcerias para a homologação do 5G com foco no atendimento das necessidades geradas por essa nova realidade. Tendo uma rede pensada para os dispositivos da Internet das Coisas, ficará mais simples que eles usem somente o que precisarem, reduzindo os problemas de tráfego.

A Internet das Coisas é segura?

A grande preocupação em relação à segurança é o fato de que muitos usuários ainda não ligam para o uso de senhas fortes. O uso de senhas fracas compromete de certa forma a segurança desses usuários.

Para se ter uma ideia, em 2016 houve a captura de um grande volume de dados por uma botnet chamada Mirai (rede de computadores zumbis que estão sob controle de hackers). Esse ataque foi de grande escala porque muitas pessoas não se preocupam em mudar a senha padrão de suas lâmpadas, geladeiras, fogões, entre outros dispositivos.

Os dispositivos controlados foram direcionados contra os servidores da Dyn, o que levou a um ataque DDoS. Esse ataque comprometeu serviços como Netflix, Twitter, Amazon, entre outros.

O ataque DDoS trata-se de um grande volume de requisições (pedidos de conexão) a um site ou a serviços ao mesmo tempo. Com tantas requisições sendo feitas, as plataformas não conseguem dar conta de tudo e colapsam. Os serviços vão ficando lentos ou até ficam fora do ar. É fundamental usar senhas fortes e seguras para evitar a vulnerabilidade.

Internet das Coisas e o futuro

A tendência é que com a rede 5G em funcionamento haja cada vez mais produtos e iniciativas de grande, médio e pequeno porte no tocante à Internet das Coisas. Cada vez mais dispositivos estarão ligados à internet. Há inúmeras possibilidades de aplicações que podem impactar positivamente a vida de todos.

A Internet das Coisas é o futuro que já está acontecendo! Por ser um tema bastante atual, pode estar presente em questões dos principais vestibulares e Enem, portanto, mantenha-se informado!

Retornar ao blog