O que são Fusos Horários?

Os fusos horários foram criados com o objetivo de padronizar o cálculo de tempo no planeta. Para isso, é utilizada uma linha imaginária que liga os dois polos terrestres, chamada Meridiano de Greenwich. Continue a leitura para entender melhor o que são os fusos, como foram criados e qual a sua importância para todo o mundo.

Por que os Fusos Horários foram criados?

Até o fim do século XIX, o tempo era marcado por cada região de forma independente, sem uma organização geral com outros locais. As cidades ajustavam seus relógios ao meio-dia, baseando-se na posição do sol. Geralmente, era escolhida uma pessoa que ajustava e passava aos demais a hora determinada como oficial ou havia um relógio localizado em uma área central.

Quando alguém fazia uma viagem mais longa e ia para uma região diferente, precisava adquirir um novo relógio na chegada para não perder seus compromissos. No momento em que as ferrovias foram construídas e as pessoas começaram a percorrer longas distâncias em menos tempo, isso se tornou um problema, porque não havia uma padronização dos horários.

Nos primeiros anos de funcionamento das ferrovias, os horários eram bastante confusos. Por mais que as partidas fossem determinadas de acordo com o local, as paradas envolviam adaptações dependendo da cidade, o que resultava em muita confusão por parte dos funcionários e passageiros. Esse foi um dos aspectos mais marcantes para que autoridades de todo o mundo percebessem que uma padronização era necessária.

Foi aí que surgiu o fuso horário, que é o nome dado a uma região ou área que segue o mesmo padrão de horário. No Brasil, por exemplo, temos grande parte dos estados seguindo o fuso horário de Brasília, também conhecido pela classificação GMT -3.

História da criação dos Fusos Horários

Como o planeta leva 23 horas, 56 minutos e 4 segundos para realizar o movimento de rotação, equivalente a um dia, foi realizado um cálculo considerando sua circunferência. Assim, se a Terra possui 360º, dividindo por 24 horas temos 15º de longitude de distância por hora. Esse sistema foi proposto pelo canadense Sir Sandford Fleming em 1878 e foi adotado por empresas ferroviárias norte-americanas a partir de 1883.

A padronização dos fusos horários foi oficializada em 1884, em Washington, nos Estados Unidos, durante a Conferência Internacional do Meridiano, que contou com a participação de representantes de 25 países. O Brasil foi representado por Luís Cruls, astrônomo e geodesista de origem belga.

Ficou definido que o meridiano principal para a padronização dos fusos horários ficaria localizado em Greenwich, distrito que fica na região de Londres, na Inglaterra. Assim, os outros 24 fusos foram determinados com base nele, que ficou conhecido como o Meridiano de Greenwich.

Como os Fusos Horários são usados no mundo

É válido mencionar que nem todos os países adotaram a padronização imediatamente e foram se adaptando aos poucos. Atualmente, algumas regiões usam adaptações do modelo proposto por Fleming. A ideia era que existissem 24 fusos, mas o número acabou se tornando maior, já que alguns possuem apenas entre 30 e 45 minutos de diferença.

Veja, a seguir, algumas curiosidades sobre como os fusos horários são utilizados em vários países do mundo.

Brasil: mudanças nos fusos horários

O Brasil é um país de grande extensão territorial e, por isso, utiliza quatro fusos horários, que são: GMT-2 (Fernando de Noronha), GMT-3 (Padrão de Brasília), GMT-4 (Amazonas) e GMT-5 (Acre). Em 2008, foi realizada uma alteração em que o GMT-5 foi extinto, porém, em 2013 ele foi retomado através de uma decisão da população por meio de um referendo.

França: país com o maior número de fusos horários

Por conta da extensão, alguns países seguem mais de um fuso, como é o caso do Brasil. A França, mesmo não sendo um dos países mais extensos, utiliza 12 fusos diferentes. Isso se fez necessário por conta dos territórios que possui ao redor do mundo, como a Polinésia Francesa e as Ilhas Wallis e Futuna, por exemplo.

China: país extenso que segue apenas um fuso horário

Mesmo estando entre os países mais extensos do mundo, a China segue apenas um fuso horário. Isso foi determinado em 1949, durante o governo de Mao Zedong. Antes dessa data, o país era dividido por cinco fusos diferentes.

Polo Norte e Polo Sul: áreas sem fusos horários oficiais

Como os fusos horários são definidos por linhas longitudinais que ligam os dois polos, Norte e Sul, eles não possuem horários oficiais. Por serem áreas em que há centros de pesquisa de vários países, cada um decide se irá seguir o padrão de horário do seu país ou da área habitada que for mais próxima.

A determinação dos fusos horários foi uma necessidade que surgiu com a globalização e facilitou a realização de uma série de operações entre países e regiões diferentes. Para conferir mais conteúdos de geografia, além de dicas para o Enem e o vestibular, navegue pelos posts do blog do Hexag!

Retornar ao blog