O que são desinências?

As desinências estão entre os temas da língua portuguesa mais cobrados em provas do Enem e vestibulares. Neste artigo explicaremos com mais detalhes do que consiste esse tópico. Boa leitura! 

Entenda o que são desinências

Em linhas gerais, desinências consistem em morfemas que são adicionados à parte final das palavras variáveis com o objetivo de assinalar as suas flexões. Exatamente por esse motivo, são também conhecidas como morfemas flexionais. É importante destacar que desinências podem ser nominais ou verbais. 

O que são desinências nominais?

As desinências nominais são utilizadas para indicar gênero (feminino ou masculino) e número (plural ou singular) dos substantivos, adjetivos e também de alguns pronomes. 

Desinência de gênero

Masculino: -o

Feminino: -a

Desinência de número

Singular: –

Plural: -s

Confira abaixo os exemplos:

“O cantor talentoso se destacou no show de talentos.”.

“Os cantores talentosos se destacaram no show de talentos.”. 

“A cantora talentosa se destacou no show de talentos.”.

“As cantoras talentosas se destacaram no show de talentos.”

Normalmente, o plural é indicado pela desinência -s. Porém, algumas terminadas em s têm seu plural feito a partir do acréscimo de -es.

Confira exemplos: países, noruegueses, meses. Então, em grande parte dos casos, a ausência do -s indica o singular, aquilo que chamamos de desinência zero. 

O que são desinências verbais?

Essas desinências se caracterizam por indicar flexões do verbo, essas flexões podem ser de número e pessoa, de modo e tempo. Confira abaixo a forma como as desinências estão divididas. 

Desinências modo-temporais (DMT)

Esse tipo de desinência indica os modos (subjuntivo, indicativo e imperativo) e os tempos (passado, presente e futuro). 

Desinências número-pessoais (DNP)

Essas desinências indicam o número (plural ou singular) e as pessoas (eu, tu, ele/ela, nós, vós, eles/elas). 

Confira abaixo os exemplos: 

“Caminho todas as tardes.” (1ª pessoa do singular do presente do indicativo).

“Se caminhassem.” (3ª pessoa do plural do pretérito imperfeito do subjuntivo).

“Caminhemos para o parque!” (1ª pessoa do plural do imperativo). 

Confira as desinências dos tempos verbais, elas dão origem a outros tempos e modos verbais. 

Presente

Pessoa Singular  Plural
-o -mos
-s -is (-des)
-m

 

Pretérito perfeito

Pessoa Singular  Plural
-i -mos
-ste -stes
-u -ram

 

Infinitivo pessoal futuro do subjuntivo

Pessoa Singular  Plural
-mos
-es -des
-em

 

Atenção, não se confunda!

É essencial compreender que há diferença entre desinência e vogal temática. A desinência indica gênero. Por sua vez, a vogal temática indica a que conjugação o verbo faz parte, ao mesmo tempo em que o prepara para receber as desinências que permitem a sua conjugação. Para entender melhor confira o exemplo abaixo:

estuda (a – 3.ª pessoa do singular do presente do indicativo)

estudava (a (vogal temática), va – 1.ª ou 3.ª pessoa do singular do pretérito imperfeito do indicativo).

O que são morfemas?

Vale a pena, ainda, explicar o conceito de morfemas. Lembra-se que mencionamos que as desinências são também conhecidas como morfemas flexionais? Morfemas consistem em unidades ou elementos de significação que formam ou mudam o significado das palavras. Os morfemas podem ser conhecidos ainda como elementos mórficos. Confira exemplos:

nascer, renascer, nascimento, nascido, nasciturno

Conheça os tipos de morfemas

Os morfemas podem ser presos ou livres. Morfemas que encerram o significado por si só são considerados como livres. Já os morfemas presos são aqueles que sozinhos não apresentam significado. Confira os exemplos:

mar (é um morfema livre), s (esse é um morfema preso que indica plural).

Classificação dos morfemas: lexicais e gramaticais

Entenda melhor abaixo a classificação dos morfemas em lexicais e gramaticais.

Morfemas lexicais

Nesta categoria estão os substantivos, adjetivos, verbos e advérbios de modo.

Morfemas gramaticais

Neste grupo estão os artigos, numerais, pronomes, conjunções, preposições e demais advérbios, assim como os elementos mórficos responsáveis por indicar gênero, número, tempo, modo e aspecto verbal. 

Estrutura das palavras

As desinências são elementos estruturais das palavras, pois se juntam às palavras para assinalar flexões gramaticais que podem ser verbais ou nominais. Além das desinências, outros elementos estruturais das palavras que são relevantes, incluem: radicais, afixos (ou morfemas derivacionais), vogais temáticas e vogais ou consoantes de ligação. Entenda melhor cada um desses conceitos abaixo.

Radicais

Trata-se do elemento comum que serve de base para as palavras. Na Língua Portuguesa, existem várias palavras cujo radical tem sua origem no latim ou no grego. 

Exemplos de radicais de origem grega

  • agro (campo), origina palavras como agronomia;
  • demo (povo), origina palavras como democracia;
  • Exemplos de radicais de origem latina;
  • agri (campo), origina palavras como agricultura;
  • fide (fé), origina palavras como fidedigno. 

Afixos (ou morfemas derivacionais)

Trata-se do elemento que se junta à palavra para dar origem a outra palavra. Os afixos podem ser prefixos ou sufixos, essa classificação depende de onde estão localizados. 

Vogais temáticas

A vogal que se junta ao radical para receber as desinências.

Vogais ou consoantes de ligação

Não apresentam significado, sua única função é realizar a ligação entre os elementos para facilitar a pronúncia. 

Gostou de saber mais sobre as desinências? Para conferir mais conteúdos como este, navegue pelo blog do Hexag!

Retornar ao blog