O que são células-tronco? Por que são tão importantes em tratamentos de doenças?

Saber o que são células-tronco é bastante importante para entender a sua aplicação no tratamento de doenças. Basicamente, essas células se diferenciam porque apresentam a capacidade de se dividir, promovendo, assim, a autorrenovação. Continue lendo para entender melhor o conceito de células-tronco e como elas podem ser usadas em diversos tratamentos.

O que são células-tronco?

As células-tronco têm como principal característica a capacidade quase sem fim de se dividir e se renovar. Devido a isso, elas podem regenerar qualquer parte do corpo humano. É interessante mencionar que, se forem estimuladas, essas células podem se transformar em outras e formar novos tecidos e órgãos para o corpo humano.

Certamente, as células-tronco estão entre as mais revolucionárias descobertas na área médica, no entanto, ainda é um tema que demanda muito estudo. Há a necessidade de que se tenha mais conhecimento sobre essa questão para aplicá-la mais efetivamente. Atualmente, tratamentos com células-tronco não estão disponíveis para todos.

Tipos de células-tronco

As células-tronco são divididas pela medicina em três categorias: embrionárias, adultas e pluripotentes induzidas (iPSCs). Confira, a seguir, a definição de cada tipo e como cada um deles entra em contato com o organismo humano.

Células-tronco embrionárias

As células-tronco embrionárias são encontradas em embriões e nos fetos. É a mais usada por pesquisadores que desejam comprovar que elas podem regenerar tecidos e órgãos do corpo humano.

Células-tronco adultas

Estão presentes em órgãos comuns do ser humano, como fígado e medula óssea. As células-tronco adultas são menos regenerativas e apresentam maior capacidade de se renovar. São essas células que atuam na reconstituição natural do fígado, contudo, se mostram limitadas.

Células-tronco pluripotentes induzidas (iPSCs)

Células-tronco pluripotentes nada mais são do que células adultas modificadas em laboratório para se tornarem células embrionárias. Há certas barreiras para o uso de células embrionárias em estudos, por esse motivo, o desenvolvimento das células pluripotentes teve tamanha relevância.

A utilização dessas células fornece grande esperança para que estudos sobre células-tronco avancem em todo o mundo. As células adultas convertidas em embrionárias contribuem significativamente para os avanços científicos que podem modificar a vida humana daqui um tempo.

Células-tronco do cordão umbilical

O cordão umbilical é bastante rico em células-tronco adultas na sua fase mais primitiva, ou seja, em que estão mais propensas para a formação de outras células. Com essas características, as células-tronco do cordão umbilical têm potencial terapêutico mais elevado. Podem ser utilizadas de inúmeras maneiras, contribuindo para recuperar tecidos ou na melhora de doenças.

Há duas maneiras de extrair as células-tronco do cordão umbilical, através do tecido do próprio cordão ou pelo sangue. Células extraídas do sangue do cordão são bastante utilizadas no tratamento das doenças da medula óssea, como diversos tipos específicos de câncer. Por ter poucas chances de ser entendida como uma célula estranha no organismo, as células-tronco do cordão umbilical têm sido utilizadas em diversos estudos realizados no mundo todo.

As células-tronco do cordão umbilical podem ser facilmente coletadas, não é necessário fazer uma cirurgia. Basta que o sangue e o tecido do cordão sejam coletados no momento do parto. É possível armazenar esse tipo de célula por dezenas de anos sem que percam suas qualidades.

Como as células-tronco do cordão umbilical podem ser usadas no tratamento de doenças?

As células-tronco encontradas no sangue do cordão umbilical podem ser usadas para tratar mais de 80 tipos diferentes de doenças. Dentre as doenças mais tratadas com esse tipo de célula estão aquelas que atacam a medula óssea, como a leucemia e outros tipos de tumores. Como essa é uma área da ciência em plena evolução, é possível que sejam descobertas outras formas de utilizar essas células do cordão umbilical para tratar doenças.

Pesquisas para tratar outras doenças com essas células no futuro

As células-tronco podem, no futuro, ser utilizadas para o tratamento de outras doenças, além de alguns tipos específicos de câncer. Os estudos podem levar a descobertas da recuperação para doenças e condições clínicas que, até esse momento, representem enigmas para a medicina. Há estudos que podem levar à formulação de tratamentos para o autismo, para Acidente Vascular Cerebral (AVC), além de outras doenças e condições neurológicas ou psiquiátricas.

Células-tronco podem curar o câncer no futuro?

Há mais de três décadas as células-tronco atuam no tratamento do câncer, nesse sentido, se destacam os transplantes de medula óssea. Contudo, as células-tronco se aplicam somente a alguns tipos específicos de tumores, aqueles que afetam a medula óssea. Há inúmeros tipos diferentes de câncer e cada tipo demanda uma forma distinta de tratamento.

Os estudos realizados atualmente na área de células-tronco têm como objetivo a descoberta de formas de tratar essas diferentes doenças. No entanto, é essencial ter bastante cautela e cuidado para chegar a soluções realmente efetivas. De maneira geral, os estudos com células-tronco objetivam descobrir maneiras de regenerar e renovar órgãos e tecidos que sejam eventualmente atacados por tumores. Porém, isso ainda não é uma realidade.

As células-tronco representam um futuro possível para o tratamento de doenças, mas ainda há muito que se caminhar. Para conferir mais conteúdos de biologia e dicas para ter um bom desempenho no vestibular e no Enem, fique ligado no blog do Hexag!

Retornar ao blog