O que foram as Grandes Navegações?

O processo de exploração e navegação do Oceano Atlântico, entre os séculos XV e XVI, recebeu o nome de Grandes Navegações ou Expansão Marítima. Foi um período histórico marcado pela descoberta dos europeus de novos caminhos para chegar ao continente asiático e ao chamado Novo Mundo. Continue lendo para entender mais sobre esse importante momento da história do mundo.

Entenda o que foram as Grandes Navegações

Portugal, no século XV, foi o país pioneiro no processo de exploração do Oceano Atlântico, que recebeu o nome de Grandes Navegações. No decorrer do século XVI, outros países europeus seguiram a tendência portuguesa e contribuíram para inúmeros descobrimentos pelos europeus.

Em 1492, eles chegaram ao continente americano e, em 1500, descobriram a existência do Brasil. As Grandes Navegações foram o ponto de partida para a colonização do continente americano e para a solidificação da passagem da Idade Média para a Idade Moderna.

O pioneirismo português

Certamente, o papel de Portugal para o sucesso das Grandes Navegações foi imprescindível. O pequeno país da Península Ibérica serviu de exemplo para outros países europeus, como França e Espanha, que também se lançaram nas águas do Oceano Atlântico em busca de novas terras e caminhos para a Ásia.

O pioneirismo português foi resultado da conjunção de uma série de fatores, como seu poderio econômico, comercial, político e suas condições geográficas. Confira abaixo uma lista com os pontos principais que ajudam a explicar o pioneirismo de Portugal no tocante às Grandes Navegações:

Estabilidade política

Entre os anos de 1383 e 1385, foi realizada a Revolução de Avis, que garantiu a estabilidade política de Portugal, ponto fundamental para o seu pioneirismo nas Grandes Navegações. A nação ibérica tinha melhores condições para investir nesse setor inovador para a época em comparação com os países vizinhos: Espanha, Inglaterra e França, que ainda não tinham estabilidade política.

Unificação territorial

Desde o século XIII, quando recuperou o território de Algarve que havia sido conquistado por mouros no século VIII, Portugal tinha seu território unificado. Para se ter uma ideia, a Espanha somente obteve certa unificação territorial no final do século XV. Essa questão foi determinante para que Portugal pudesse investir e se consolidar como o país pioneiro nas Grandes Navegações.

Desenvolvimento de conhecimento e tecnologia

O investimento no desenvolvimento de tecnologia é sempre um ponto relevante para que qualquer nação se destaque em algum cenário. Alguns historiadores atribuem grande relevância às pesquisas realizadas na Escola de Sagres, um centro de estudos náuticos construído pelo infante D. Henrique.

Há historiadores que questionam a existência e importância desse centro de estudos. Contudo, não se pode negar que Portugal soube se preparar para o processo das Grandes Navegações.

Relevância comercial

No século XV, Portugal assumiu grande relevância no setor comercial, em especial pela influência dos mouros que haviam dominado a Península Ibérica durante algum tempo. Além disso, Lisboa havia recebido diversos investimentos de comerciantes genoveses que desejavam tornar a cidade um grande centro comercial.

Posição geográfica

A posição geográfica privilegiada de Portugal também foi um fator relevante para o seu pioneirismo nas Grandes Navegações. A nação ibérica estava localizada mais a oeste do que qualquer outra nação europeia, além de ser a mais próxima da costa oeste do continente africano. Portugal era o ponto de partida para diversas expedições em busca de novas rotas para as Índias e para o comércio de especiarias.

Resultados das Grandes Navegações

Os resultados desse empreendimento marítimo rumo ao desconhecido foram a descoberta de territórios até então desconhecidos para os europeus, o desenvolvimento de novas rotas comerciais e novas opções de comércio. O principal resultado para os portugueses foi a chegada ao Brasil em 1500.

Confira abaixo uma lista com as grandes descobertas de novos territórios pelos portugueses:

1415 – Conquista de Ceuta, localizada no norte da África.

1418 – Portugueses chegaram à Ilha da Madeira.

1427 – Chegada a Açores.

1434 – Travessia do Cabo Bojador.

1488 – Travessia do Cabo da Boa Esperança.

1499 – Descoberta de um novo caminho para as Índias.

1500 – Descobrimento do Brasil.

Grandes Navegações da Espanha

No decorrer do século XV, a Espanha apenas assistiu aos sucessos dos vizinhos portugueses em seu processo de expansão marítima. Entre os motivos que impediam a Espanha de se dedicar as Grandes Navegações estava o seu foco na expulsão dos mouros do seu território, algo que aconteceu somente em 1492. Também havia a questão da instabilidade política que foi solucionada somente com o casamento entre os monarcas Fernando e Isabel no ano de 1469.

Após a conquista de Granada, cidade ao sul do país, foi possível dar início aos investimentos marítimos. O genovês Cristóvão Colombo foi o líder da primeira expedição espanhola, que era composta por três embarcações: Niña, Pinta e Santa Maria. O objetivo das embarcações era chegar à Ásia, porém, em 12 de outubro de 1492 a expedição chegou às Bahamas, no continente americano.

Quais foram as principais consequências das Grandes Navegações?

Desde o século XII, antes das Grandes Navegações, havia uma série de transformações em curso no continente europeu. A expansão dos limites do mundo contribuiu para acelerar essas mudanças. Houve a transição da Idade Média para a Idade Moderna, com destaque para o fortalecimento da moeda e do comércio, garantindo o mercantilismo. Isso contribuiu para deixar o modelo feudal no passado e migrar para o capitalismo.

O pioneirismo nas Grandes Navegações fez de Portugal a maior potência mundial entre os séculos XV e XVI. Foi um período em que o país estabeleceu colônias em diferentes partes do mundo, como América do Sul, Ásia e África.

As Grandes Navegações foram muito importantes para os acontecimentos dos séculos seguintes! Para conferir mais conteúdo de história, além de dicas para o Enem e o vestibular, fique ligado no blog do Hexag!

Retornar ao blog