O que é um pronome pessoal?

Terça, 17 de Novembro de 2020

O que é um pronome pessoal?

Saber o que é pronome pessoal é essencial para o estudo e uso da língua portuguesa, haja vista que se trata dos pronomes relacionados às pessoas do discurso. Esses pronomes podem indicar a 1ª, 2ª e 3ª pessoas do singular ou plural.

Ao longo do texto vamos apresentar com mais detalhes os pronomes pessoais e a forma correta de empregá-los. É um conteúdo relevante tanto para responder as questões de língua portuguesa do Enem e vestibulares quanto para enriquecer a sua escrita e, consequentemente, fazer uma excelente redação.

O que é pronome pessoal?

Como mencionado acima, os pronomes pessoais dizem respeito às pessoas de quem se fala no discurso. Esses pronomes podem indicar a 1ª, 2ª ou 3ª pessoa do singular ou plural.

No singular temos:

  • 1ª pessoa - eu;
  • 2ª pessoa - tu;
  • 3ª pessoa - ele, ela.

No plural temos:

  • 1ª pessoa - nós;
  • 2ª pessoa - vós;
  • 3ª pessoa - eles, elas.

Em relação à 3ª pessoa, é importante mencionar que também abrange coisas inanimadas. Por exemplo, na seguinte frase “Aquele ventilador é preto” temos o verbo conjugado na terceira pessoa, ainda que ventilador não seja um ser vivo.

Divisão por funções

Os pronomes pessoais são divididos em duas categorias quanto às suas funções: pronomes pessoais do caso reto e pronomes pessoais do caso oblíquo. Ainda é possível categorizá-los de acordo com a sua tonicidade em pronome oblíquo átono ou pronome oblíquo tônico.

O que são pronomes pessoais do caso reto?

Os pronomes são considerados do caso reto quando funcionam como o sujeito do enunciado.

Pronomes pessoais do caso reto:

Singular:

  • 1ª pessoa - eu;
  • 2ª pessoa - tu;
  • 3ª pessoa - ele, ela.

Plural:

  • 1ª pessoa - nós;
  • 2ª pessoa - vós;
  • 3ª pessoa - eles, elas.

Sujeito do enunciado

Os pronomes pessoais do caso reto se caracterizam pelo fato de se constituírem no sujeito do enunciado. Para entender melhor confira os exemplos a seguir:

Eu estava muito feliz.

(Sujeito + verbo + complemento).

Nós vamos ao cinema.

(Sujeito + verbo + complemento).

Em ambos os exemplos os sujeitos das frases são pronomes pessoais na 1ª pessoa do singular e são do caso reto porque funcionam como sujeitos do enunciado. Acompanhe mais exemplos:

As cadeiras quebraram ontem.

(Sujeito + verbo + complemento).

Minha irmã e o vizinho estão namorando.

(Sujeito + verbo + complemento).

Nesses exemplos, os sujeitos das frases são substantivos (flores, irmã e vizinho), note que eles podem ser substituídos por pronomes pessoais do caso reto:

Elas quebraram ontem.

Eles estão namorando.

O que são pronomes pessoais do caso oblíquo?

Recebem essa nomenclatura quando servem de complemento do enunciado. Consideram-se como pronomes oblíquos átonos quando não necessitam de preposição para acompanhá-los. São tônicos quando necessitam de preposição que os acompanhe.

Pronomes pessoais do caso oblíquo átonos (que não precisam de preposição):

Singular:

  • 1ª pessoa - me;
  • 2ª pessoa - te;
  • 3ª pessoa - lhe, o, a, se.

Plural:

  • 1ª pessoa - nos;
  • 2ª pessoa - vos;
  • 3ª pessoa - lhes, os, as, se.

Pronomes pessoais do caso oblíquo tônicos (que precisam de preposição):

Singular:

  • 1ª pessoa - mim, comigo;
  • 2ª pessoa - ti, contigo;
  • 3ª pessoa - ele, ela, si, consigo.

Plural:

  • 1ª pessoa - nós, conosco;
  • 2ª pessoa - vós, convosco;
  • 3ª pessoa - eles, elas, si, consigo.

Complemento do enunciado

A principal característica dos pronomes pessoais do caso oblíquo é funcionarem como complementos do enunciado, em alguns casos, vêm acompanhados de preposição e em outros não.

Exemplos do uso de pronomes do caso oblíquo tônicos:

Essa música foi dedicada a vós.

(Sujeito + verbo + complemento).

Os estudantes vieram até mim.

(Sujeito + verbo + complemento).

Eles se queixaram muito de nós.

(Sujeito + verbo + complemento).

Observe que em todos esses exemplos os pronomes pessoais (vós, mim, nós) assumiram a função de complemento das frases e estavam acompanhadas de preposições (a, até, de), logo, trata-se de pronomes do caso oblíquo átonos.

Outro exemplo:

Ele foi comigo ao show.

(Sujeito + verbo + complemento).

Nesse caso, há dois pronomes pessoais ela e mim (com + mim = comigo). O pronome ela é do caso reto, já que se configura no sujeito da frase, enquanto comigo é um pronome do caso oblíquo tônico, uma vez que é complemento e necessita de preposição (com).

Atenção!

A preposição “com”, quando se junta aos pronomes dá origem a palavras únicas como:

  • Comigo (com + mim);
  • Contigo (com + ti);
  • Consigo (com + si) - singular ou plural;
  • Conosco (com + nós);
  • Convosco (com + vós).

Exemplos do uso de pronomes do caso oblíquo átonos:

O grupo me ouviu ler.

(Sujeito + complemento + verbo).

Muita gente está nos julgando.

(Sujeito + verbo + complemento + verbo).

Nós lhes devemos desculpas.

(Sujeito + complemento + verbo + complemento).

Os exemplos acima nos mostram casos em que os pronomes pessoais (me, nos, lhes) tinham a função de complemento, no entanto, não precisaram do acompanhamento de preposição. Há algumas convenções relacionadas ao uso do pronome pessoal oblíquo átono: próclise, ênclise e mesóclise.

O que é próclise?

Há situações em que algumas palavras antes do verbo “atraem” o pronome oblíquo, isso configura a próclise.

O que é ênclise?

Situação em que o verbo começa a frase ou está no imperativo.

O que é mesóclise?

Acontece quando o verbo está conjugado no futuro (do pretérito ou do presente), não existindo a possibilidade de ênclise ou próclise.

Pronomes de tratamento

Podem ser chamados também de formas substantivas de tratamento ou de formas pronominais de tratamento. Basicamente, são pronomes que se referem ao sujeito por atributos ou qualidades de ocupação, possuem reverência. O uso de um pronome de tratamento coloca imediatamente o verbo na terceira pessoa, mesmo que se esteja falando diretamente com ela.

É essencial mencionar que “você” é pronome de tratamento e não um pronome pessoal. Sendo assim, quando “você” é usado em frases, coloca o verbo na terceira pessoa, ainda que seja um substituto para “tu”, que é segunda pessoa. Confira o exemplo abaixo:

Tu foste ao Nordeste?

Você foi ao Nordeste?

Pronomes de tratamento podem ser usados tanto para se dirigir a alguém como para se referir a alguém, confira o exemplo:

Vossa Excelência já escreveu o discurso para a posse?

Vossa Santidade, o Papa, pretende fazer uma grande viagem ao continente africano.

Para conferir mais conteúdos de gramática da língua portuguesa e dicas relacionadas ao Enem e vestibulares, fique ligado no Blog do Hexag!