O que é Otan?

Fundada em 1949, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) é um organismo internacional. A sua criação está relacionada à forte polarização política surgida após o término da Segunda Guerra Mundial. No artigo a seguir iremos explicar com mais detalhes o que é essa organização e o seu papel no contexto global. 

Entenda o que é Otan

Na segunda metade do século passado, houve um processo de intensa polarização política, especialmente no continente europeu. Em 1949, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) foi fundada para garantir a segurança dos seus países-membros através de medidas específicas de defesa. 

A Otan, atualmente, é a maior organização político-militar do planeta, contando com 30 países-membros, com destaque para Estados Unidos, França, Reino Unido, Itália, Alemanha e Turquia. Fazem parte da organização nações da Europa, América e Ásia. No decorrer das décadas, essa organização empreendeu uma série de operações militares. 

Nos últimos anos, vários países, incluindo o Brasil, se aproximaram da organização para finalidades de cooperação técnico-militar. Salientamos que o Brasil não é membro da Otan, mas é considerado como um parceiro, seu status é de aliado preferencial extra-Otan desde 2019. 

Embora a principal finalidade da organização seja garantir a segurança militar dos países-membros, também tem papel relevante para a realização de intercâmbios políticos e econômicos. A Otan possui dois principais pólos decisórios, que são: os Representantes Militares e as Delegações da Otan. 

Contexto histórico da criação da Otan

A Otan foi criada como uma ação político-militar entre os países europeus e os Estados Unidos no contexto da guerra fria. O marco inicial da criação da organização foi o Tratado de Bruxelas em 1948 e depois o Tratado de Washington em 1949. Os países participantes nesse início eram as maiores potências globais do período como os Estados Unidos, Reino Unido e França.

A história da criação da organização teve ainda outras motivações dos países fundadores como se opor aos regimes socialistas do Leste Europeu e conter o nacionalismo exagerado em algumas nações do Oeste Europeu. Ao longo dos anos, a Otan, passou a aceitar a entrada de novos países-membros como Alemanha, Canadá e Turquia. Também foram aceitas nações que estavam na antiga zona de influência da União Soviética como Letônia, Estônia, Lituânia e Polônia. 

Quais são os objetivos da Otan?

De acordo com os documentos oficiais, a Otan tem como objetivos garantir a liberdade e segurança dos países-membros através de ações políticas e militares. Está claro que a organização existe com objetivo de segurança internacional. Em outras palavras, os seus objetivos reafirmam que a Otan consiste em uma entidade político-militar que atua na defesa dos países-membros. 

Quais são os países-membros da Otan?

Atualmente, a Otan possui 30 países-membros, grande parte deles no continente europeu. O último país a ser integrado foi a Macedônia do Norte, em 2020. Confira quais são os países que fazem parte da organização: 

  • Estados Unidos; 
  • Canadá; 
  • Alemanha;
  • Reino Unido; 
  • França; 
  • Portugal; 
  • Espanha; 
  • Bélgica; 
  • Albânia;
  • Luxemburgo;
  • Noruega; 
  • Estônia;
  • Bulgária; 
  • Macedônia do Norte;
  • Croácia; 
  • Montenegro; 
  • Hungria; 
  • Polônia; 
  • Grécia; 
  • Itália; 
  • Islândia; 
  • Holanda; 
  • Dinamarca
  • Eslováquia; 
  • Eslovênia; 
  • Lituânia; 
  • Letônia; 
  • República Tcheca;
  • Romênia; 
  • Turquia. 

A estrutura da Otan

A Otan é uma organização supranacional que reúne várias nações com um objetivo em comum. Para que sua atuação ocorra de forma organizada, possui uma estrutura em que todos os países-membros são estimulados a tomar decisões pelo bloco. Possui dois principais polos decisórios: os Representantes Militares e as Delegações da Otan. 

No primeiro grupo estão os chefes de defesa dos países-membros. No segundo, estão especialistas de cada país do bloco. Os polos organizam reuniões frequentes para tomar decisões.

A organização possui muitos funcionários que ajudam na produção de relatórios de consultoria para que as decisões possam ser tomadas com mais segurança. O poder máximo dentro da organização pertence ao secretário-geral da Otan. 

Otan: operações militares

Nas últimas três décadas ocorreram o maior volume de ações militares da Otan em regiões específicas do planeta. Geralmente essas ações são realizadas em pontos de interesse de um ou mais membros da organização. A seguir explicamos melhor as principais operações militares da Otan. 

Guerra Iraque-Kuwait (1990)

Durante o conflito, a Otan deslocou tropas para proteger parte do território da Turquia. 

Guerra da Bósnia (1994)

A Otan foi responsável por uma série de ataques aéreos na Sérvia durante esse conflito para dissuadir esse país durante a invasão da Bósnia e Herzegovina.

Intervenção do Kosovo (1999)

A organização agiu para conter os ataques empreendidos pela Sérvia e, assim, gerar maior estabilidade política na região. 

Guerra do Afeganistão (2001)

A Otan apoiou os Estados Unidos na Guerra ao Terror, sendo decisiva na invasão do Afeganistão promovida pelo país norte-americano. 

Intervenção no Iraque (2004)

Depois da queda do ditador local, a Otan realizou missões de apoio e treinamento do governo iraquiano. 

Intervenção na Líbia (2011)

Tentando inibir distúrbios gerados na Líbia em decorrência da Primavera Árabe, a Otan realizou uma série de ações militares no país. 

A Otan, atualmente, é a maior aliança político-militar do planeta. Para conferir mais conteúdos como este, navegue pelo blog do Hexag!

Retornar ao blog