O que é H1N1?

Saber o que é H1N1 é importante para diferenciar essa doença de uma gripe comum, pois ela pode ter sintomas graves, demandando tratamento hospitalar. Conhecida também como influenza A, é causada pelo vírus H1N1 (subtipo do influenzavírus tipo A). Continue lendo para saber mais sobre a doença que esteve em foco na discussão mundial há alguns anos e que atualmente possui vacina.

Entenda o que é H1N1

O vírus H1N1, causador da gripe H1N1, se originou a partir da combinação de segmentos genéticos do vírus humano da gripe, do vírus da gripe suína (motivo pelo qual também é nomeada dessa forma) e da gripe aviária. A incubação do vírus se dá em um período de três a cinco dias e a transmissão pode acontecer antes dos sintomas se manifestarem.

O contágio pode ocorrer pelo contato direto com animais infectados, com objetos contaminados ou de pessoa para pessoa. No último caso, a transmissão é feita por partículas de saliva, via aérea ou secreções das vias respiratórias. É interessante ressaltar que, hoje em dia, os pesquisadores concluíram que o vírus H1N1 não é tão agressivo quanto se acreditava.

H1N1 é transmitido pela carne de porco?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o CDC (Center for Diseases Control), o consumo de carne de porco não é um vetor de transmissão, uma vez que o cozimento da mesma em temperatura elevada elimina o vírus.

Sintomas do H1N1

Em linhas gerais, os sintomas da gripe H1N1 são bem semelhantes aos sintomas de gripes causadas por outros vírus. Contudo, quando se mostram acentuados, demandam atendimento médico. Confira, a seguir, uma lista dos principais sintomas:

  • Febre alta acima dos 38°C que começa de repente;
  • Irritação nos olhos;
  • Diarreia;
  • Vômitos;
  • Tosse;
  • Coriza;
  • Dor muscular;
  • Dor de garganta;
  • Dores nas articulações;
  • Cansaço;
  • Perda de apetite.

Os sintomas do H1N1 podem se manifestar por mais de 7 dias.

Como é o tratamento do H1N1?

Essa é uma doença que tem cura, o tratamento geralmente é feito com o uso do medicamento Tamiflu. É indicado que o paciente diagnosticado com H1N1 permaneça em repouso, beba bastante água e fique isolado para evitar transmitir o vírus para outras pessoas. Também se deve evitar a automedicação, pois remédios não indicados por médicos podem tornar as cepas mais resistentes aos medicamentos.

Vacina contra H1N1

A forma mais efetiva de se prevenir do H1N1 é tomar a vacina desenvolvida para esse vírus, que tem como base o vírus inativo e fracionado. Pode ter efeitos colaterais, no entanto, são ínfimos quando comparados com o benefício de se estar protegido de uma doença que pode ter complicações graves. Há duas vacinas contra H1N1, a trivalente e a tetravalente.

A vacina trivalente do H1N1 imuniza contra o influenzavírus tipo A e contra uma cepa do influenza vírus tipo B. Por sua vez, a vacina tetravalente (ou quadrivalente) oferece imunidade contra os dois vírus já mencionados e, também, contra uma segunda cepa do influenza tipo B, pouco comum no Brasil. A vacina tetravalente só deve ser aplicada a partir dos três anos de idade.

Ambas as vacinas são eficazes, contudo, levam um período de duas a três semanas para surtirem efeito. Apesar de não oferecerem 100% de proteção, elas se aproximam bastante dessa margem.

Fazem parte do grupo prioritário para receber essa vacina: pessoas com doenças crônicas (como diabetes, asma, cardiopatias, bronquite  e insuficiência renal) imunossuprimidos, transplantados, população indígena, crianças entre seis meses e cinco anos, profissionais de saúde e população carcerária.

Contraindicação da vacina

Pessoas que têm alergia a ovo não devem tomar a vacina contra H1N1, uma vez que ela pode conter ovoalbumina. Essa proteína é a responsável por provocar reações alérgicas. Durante uma fase do processo de produção de vacina, os vírus crescem em ovos de galinha.

H1N1 e o novo coronavírus: quais as diferenças?

Confira, a seguir, um compilado das principais diferenças entre o H1N1 e o novo coronavírus.

Vírus

O vírus causador da H1N1 é da família Orthomyxoviridae (grupo Influenza), responsável pela gripe convencional. O novo coronavírus pertence à família Coronaviridae.

Origem

Em 2009, foram registrados os primeiros casos de H1N1 no México, a doença atingiu 110 países. O registro do primeiro caso de coronavírus se deu na cidade chinesa de Wuhan, no final de 2019. Apenas quatro meses depois, 167 países já tinham sido afetados.

Doença

O vírus H1N1 causa a doença conhecida como Gripe A ou Gripe Suína. Já o SARS-Cov-2 é o causador da doença conhecida como Covid-19.

Mortalidade

O H1N1 possui uma taxa de mortalidade de 0,026% enquanto o novo coronavírus apresenta taxa de mortalidade de 3,2%.

Vítimas

Cerca de 80% das pessoas vitimadas pelo H1N1 tinham menos de 65 anos de idade. O novo coronavírus tem maior incidência fatal em pessoas com mais de 80 anos de idade e/ou que possuem alguma doença crônica.

Tratamento

Embora a Gripe A seja altamente contagiosa, possui um remédio para o seu tratamento, o Tamiflu. Não existe medicamento para o tratamento do novo coronavírus.

H1N1 também deve ser uma preocupação da população, por isso, tomar a vacina é imprescindível!

Para conferir mais conteúdos sobre saúde, biologia e outros temas que podem ser cobrados no vestibular e no Enem, fique ligado no blog do Hexag!

Retornar ao blog