O que é e como se forma um vulcão?

Saber o que é e como se forma um vulcão é importante para compreender tópicos relevantes da geografia do nosso planeta, em especial aqueles que se relacionam com as placas tectônicas. Continue lendo e tenha mais compreensão deste capítulo bastante importante da geografia.

O que é e como se forma um vulcão?

Os vulcões nada mais são do que aberturas presentes em montanhas da superfície terrestre, através das quais são expelidos fogo, gases e lava provenientes do interior do planeta. Essas estruturas geológicas se constituem de massa de rocha fundida, resultado das temperaturas bastante elevadas em seu interior.  

A erupção vulcânica pode ser devastadora para a região atingida, em particular quando há populações instaladas no local. A localização dos vulcões está relacionada às áreas de encontro de placas tectônicas (veremos melhor abaixo), por isso, algumas regiões não possuem esses gigantes imponentes e perigosos.

Vulcões podem ser facilmente confundidos com montanhas, ainda mais quando estão inativos, porém, são bastante diferentes delas, tanto em composição como em processo de formação.

Como se forma um vulcão?

Para entender o processo de formação de um vulcão, é necessário compreender o conceito de placas tectônicas. A litosfera terrestre não é constituída por um bloco rochoso único e sim por grandes blocos de caráter semirrígido que estão em movimento, lento ou contínuo, sobre o manto da Terra. O movimento das placas pode fazer com que elas se aproximem ou se afastem.

A movimentação é desencadeada devido às temperaturas elevadas do interior do planeta, basicamente, dá origem ao movimento convectivo (movimento circular realizado pelo manto) que transfere o calor do núcleo do planeta para outras camadas do mesmo. O resultado é o que se chama de movimento convergente, o choque entre placas tectônicas.

Nesse choque, uma das placas se afunda em direção ao manto, enquanto a outra é pressionada no sentido oposto, dando origem a dobras na crosta terrestre. As dobras dão origem a ilhas vulcânicas de pequeno porte, no que se chama zona de subducção. Devido a esse processo de formação dos vulcões, é possível afirmar que sua ocorrência se relaciona com as regiões limite entre as placas tectônicas.

Encontros de placas

Cerca de 60% dos vulcões ativos da Terra estão localizados na região de choque entre a Placa do Pacífico e a Placa Norte-Americana, que é conhecida como Anel de Fogo do Pacífico. A Placa de Nazca, por sua vez, se choca com a Placa Sul-Americana, dando origem a uma região com vulcões e cordilheiras. A Placa Eurasiana se choca com a Placa Africana.

Vulcanismo submarino

É importante esclarecer que não é somente o choque entre placas tectônicas que resulta na formação de vulcões. O afastamento entre as placas dá origem ao chamado vulcanismo submarino conforme o fundo oceânico se expande.

Pontos quentes (Hot spot)

Esclarecemos, também, que os vulcões não estão restritos às regiões de encontros das placas tectônicas. Algumas regiões, chamadas de pontos quentes (hot spot, em inglês), no centro das placas podem apresentar ação vulcânica. Um bom exemplo de ascensão vulcânica no centro de uma placa tectônica são os vulcões do Havaí.

Partes que formam um vulcão

Vulcões são constituídos principalmente por silicatos misturados com gás e vapor d’água. Geralmente, a sua estrutura está ligada a uma câmara subterrânea profunda, as partes que o constituem costumam ser: câmara magmática, chaminé, cone vulcânico e cratera.

Conheça os diferentes tipos de vulcão

A diferenciação entre os tipos de vulcões pode ser feita através da observação da sua forma, tipo de erupção e material expelido. A seguir, apresentaremos os principais tipos de vulcões existentes.

Cone de escória

Trata-se do tipo de vulcão mais comum, geralmente menor, expele magma de baixa viscosidade.

Vulcão escudo

O nome escudo atribuído a esse tipo de vulcão, se deve ao fato de que ele tem a capacidade de expelir grandes quantidades de material magmático que percorre longas distâncias, dando origem a uma montanha larga, tal qual um escudo.

Caldeira

Apresenta grande diâmetro, pode ter entre 15 km2 e 100 km2, forma-se em horas ou dias. Uma de suas características mais marcantes é a saída violenta de gases provenientes do interior do planeta.

Estratovulcões

Vulcão com formato de cone com tendência a ser íngreme. Tem atividade prolongada e sua lava costuma ser de alta viscosidade. Pode apresentar erupções bastante violentas.

Vulcão submarino

Tipo de vulcão encontrado no fundo do oceano e que é responsável pela constituição de um novo assoalho.

Atividade vulcânica

De acordo com sua atividade, os vulcões podem ser classificados em ativo, dormente ou extinto.

Vulcão ativo

Possui sinais de atividade, ou seja, é uma estrutura geológica instável.

Vulcão dormente

Um tipo de vulcão que não está em atividade, porém, pode, em algum momento, voltar a ser instável.

Vulcão extinto

Trata-se de um vulcão que bem provavelmente não apresentará novos sinais de atividade.

Como ocorre uma erupção vulcânica?

A erupção vulcânica é resultante da ação das forças internas do planeta, a agitação do material magmático decorrente das altas temperaturas do interior do planeta estimula a movimentação das placas tectônicas. O material magmático é elevado, chegando à superfície terrestre nesse processo, esse material é o que se chama popularmente de lava.

Já existiram vulcões no Brasil?

Atualmente, o Brasil não possui nenhum vulcão ativo, porém, durante a Era Mesozoica havia atividade vulcânica em nosso território, em especial nas regiões Sul e Sudeste. Exatamente por isso que nessas regiões são encontradas rochas basálticas. Nosso país, nos dias de hoje, está localizado sobre a Placa Sul-Americana, de maneira que não está em uma região de formação de vulcões.

Qual a relação entre vulcões e terremotos?

Um terremoto nada mais é do que um abalo sísmico, tremores na superfície terrestre que podem ser de baixa ou alta intensidade. Os abalos podem ser resultado do movimento das placas tectônicas, assim como de atividade vulcânica.

Em regiões de convergência de placas tectônicas, há acúmulo de descarga de energia e pressão, o que pode dar início a uma erupção vulcânica. Dependendo da intensidade dessa erupção, pode ocasionar abalos sísmicos, que são os chamados terremotos.

Gostou de saber mais sobre vulcões e como eles se formam? Aproveite para deixar o seu comentário abaixo!

Retornar ao blog