O que é e como evitar o barbarismo

O uso inadequado das palavras recebe o nome de barbarismo e se caracteriza por ser um vício de linguagem. No artigo a seguir iremos explicar esse conceito e como evitá-lo para não prejudicar a sua comunicação oral e escrita. Boa leitura!

O Barbarismo é um vício de linguagem

Antes de conceituarmos barbarismo, é importante explicar o que são vícios de linguagem. Em linhas gerais, esses vícios dizem respeito a formas errôneas de falar no dia a dia, isto é, na linguagem não formal. Esses erros costumam ser resultado do desconhecimento das regras gramaticais.

Durante conversas informais, com familiares e amigos, é natural cometer alguns desses desvios. O barbarismo é apenas um dos vícios de linguagem que podem se apresentar no cotidiano. O uso incorreto da língua pode ser bastante prejudicial e se tornar uma barreira para uma comunicação efetiva. 

É essencial ficar atento para evitar cometer esses erros, especialmente quando se está fazendo uso da linguagem culta em um ambiente profissional ou acadêmico. Quem está se preparando para fazer a prova do Enem e outros vestibulares deve redobrar a sua atenção, pois na redação pode significar a perda de muitos pontos.

Afinal, o que é barbarismo?

O barbarismo é um vício de linguagem que se caracteriza pelo uso de uma palavra de forma inadequada. O erro em questão pode ser de pronúncia, de prosódia, de significado, ortográfico ou até de formação irregular. Esse vício de linguagem pode ser resultado tanto de desatenção do falante quanto de desconhecimento das regras da língua portuguesa.

Os erros que caracterizam o barbarismo podem tornar difícil que a mensagem seja devidamente compreendida. O nome desse vício de linguagem vem da palavra “bárbaro”, que significa aquele que é contrário às regras. Em outras palavras, o barbarismo é o uso de vocabulário contrário à forma culta da língua. Vale destacar que pode acontecer sem que o indivíduo perceba.

O barbarismo como figura de linguagem

Quando o uso incorreto de uma palavra é feito para enfatizar uma mensagem, o barbarismo se torna uma figura de linguagem. Ou seja, se acontecer acidentalmente se trata de um vício de linguagem, mas se for premeditado é uma figura de linguagem. 

5 Principais tipos de barbarismo

Agora que explicamos o que é o conceito de barbarismo vamos apresentar as 5 principais formas como pode acontecer.

1. Barbarismo ortográfico

A ortografia não se refere somente à grafia correta das palavras, mas também ao uso de acentuação, pontuação e crase. Basicamente, é o conjunto de regras gramaticais normativas relacionadas a esses tópicos. Dessa forma, o barbarismo ortográfico se dá quando ocorrem transgressões dessas normas gramaticais. Confira exemplos:

A palavra exceção (forma correta) pode ser erroneamente grafada como “excessão”.

Já a palavra proeza (forma correta) pode ser escrita erroneamente como “proesa”

2. Barbarismo ortoépico

Ortoépia é o estudo da definição da forma como as palavras são pronunciadas. Então, o barbarismo ortoépico acontece quando os sons são emitidos de forma que foge do padrão. Confira os exemplos:

A palavra pneu pode ser pronunciada erroneamente como “peneu”.

Outro exemplo é a palavra gratuito que pode ser erroneamente pronunciada como “gratuíto”.

3. Barbarismo gramatical

O conjunto de regras e normas que regem o uso correto da língua recebe o nome de gramática. Dessa forma, o barbarismo gramatical é aquele que contraria essas normas. Confira os exemplos:

A frase: “Ela está meio triste” está correta.

Por sua vez, a frase: “Ela está meia triste” está errada.

Outra frase correta é: “Esteja pronto para quando eu vir aqui.”

A forma errada é: “Esteja pronto para quando eu vim aqui.”

4. Barbarismo semântico ou de significado

A semântica diz respeito ao uso dos significados na língua. Então, recebe o nome de barbarismo semântico quando uma palavra tem significado e interpretação na sentença diferentes. Esse tipo de barbarismo causa grave ruído na comunicação. Confira os exemplos:

Primeira interpretação:

“Ir de encontro” (ser contrário a).

Segunda interpretação:

“Ir ao encontro” (ser a favor ou estar na direção de um determinado lugar).

Esse tipo de barbarismo nos lembra do quanto é essencial ter cuidado com o uso das preposições e da escolha de expressões que podem ter sentido duplo. 

5. Barbarismo morfológico

A morfologia caracteriza-se por ser o estudo da estrutura e do processo de formação das palavras. Sendo assim, esse tipo de barbarismo acontece quando há má estruturação ou formação dos termos. Confira os exemplos abaixo.

O correto é cidadãos, mas não é incomum ouvir a forma errônea “cidadães”.

Outro exemplo é uma caneta que no barbarismo morfológico se torna, erroneamente, “um caneta”.

Como evitar o barbarismo na fala?

Na oralidade, é possível evitar o barbarismo se atentando para o uso correto das palavras, assim como para a sua pronúncia. Ao cometer algum deslize, lembre-se de se corrigir no mesmo momento.

Como evitar o barbarismo na escrita?

Para evitar os erros de barbarismo na escrita, é essencial estudar as regras gramaticais, morfológicas, semânticas e ortográficas. Tenha o hábito de ler com frequência para escrever de forma correta.

No caso de ter dúvidas, pesquise na internet ou em um dicionário físico. Releia os seus textos, procurando eventuais erros, e tenha atenção especial para aqueles que se repetem.

Com essas dicas você conseguirá evitar o barbarismo. Para conferir mais conteúdos como este, navegue pelo blog do Hexag!

Retornar ao blog