Microrganismos - Conceitos, tipos e características

Quinta, 29 de Abril de 2021

Microrganismos - Conceitos, tipos e características

Microrganismos são seres pequeninos que não podem ser observados a olho nu pelo ser humano. Esses seres microscópicos (somente são visualizados pelo microscópio) são estudados pela microbiologia, um ramo da Biologia. Continue lendo e saiba mais sobre essa área de estudo.

Estudo dos microrganismos: microbiologia

O termo microbiologia é resultante da junção das palavras gregas micro (pequeno), bios (vida) e logos (estudo). O objeto de estudo da microbiologia é a vida dos microrganismos, além de suas relações com outras espécies e com o ambiente em que estão inseridas.

Entre os papéis relevantes dos microrganismos, podemos citar a sua contribuição para a fertilização do solo, reciclagem de substâncias e participação de ciclos biogeoquímicos. Também podem ser empregados no fabrico de produtos como vinhos, iogurte, vinagre, queijos e pães. Não podemos deixar de citar também os microrganismos patogênicos, que se caracterizam por causar doenças em plantas, animais e no homem.

Quais são os tipos de microrganismos?

Os grupos principais de microrganismos são: vírus, protozoários, bactérias, fungos e algas. A seguir vamos apresentar as principais características de cada um desses grupos, com destaque para os seus conceitos.

Vírus

Vírus são categorizados como parasitas intracelulares pelo fato de serem organismos microscópicos sem células. Para que possam realizar suas atividades vitais, os vírus precisam estar inseridos dentro de outra célula.

Há vírus patogênicos que causam doenças no ser humano, podemos citar como exemplos desse tipo de doença: sarampo, gripe, varíola, febre amarela, AIDS, hepatite e meningite.

Bactérias

Bactérias são integrantes do Reino Monera e se caracterizam por serem seres unicelulares procariontes. Podem ser encontradas em vários tipos de ambientes, até mesmo aqueles mais inóspitos para grande parte dos seres vivos. As bactérias exercem funções relevantes no ambiente, ainda que de maneira imperceptível.

Esses seres podem atuar nos ciclos biogeoquímicos, além de terem papel na produção de alimentos e medicamentos. Há, também, bactérias patogênicas que são responsáveis por algumas doenças que acometem o ser humano como, por exemplo, tuberculose, difteria, cólera, lepra, febre tifoide e meningite.

Protozoários

Pertencentes ao Reino Protista, os protozoários são eucariontes, unicelulares e heterótrofos. Algo interessante de mencionar é que as algas também pertencem a esse reino e se caracterizam por serem organismos aquáticos com a capacidade de fazer fotossíntese. Algas podem ser micro ou macroscópicas, eucariontes ou procariontes.

Protozoários podem ser encontrados em diferentes formas corporais e ocupar ambientes distintos, como locais úmidos ou o interior de outros organismos. Alguns protozoários são parasitas e podem causar doenças, como giardíase, amebíase, doença de chagas e malária.

Fungos

Parte do Reino Fungi, os fungos podem ser macro ou microscópicos, uni ou pluricelulares, eucariontes e heterótrofos. Fungos podem ser encontrados em diferentes tipos de habitat, há fungos na água, no solo, nos animais, nos vegetais, nos seres humanos e em detritos de maneira geral. Para se ter uma ideia, há em torno de 1,5 milhão de espécies de fungos.

Os fungos podem ser utilizados para diversas finalidades distintas, como produzir medicamentos ou, então, dar origem a um saboroso queijo. Um fungo bastante apreciado na gastronomia é o cogumelo, inclusive, se trata de excelente fonte de proteínas. Porém, ressaltamos que há fungos patogênicos, dentre as doenças que se relacionam com fungos podemos citar histoplasmose, sapinho, micoses e candidíase.

Quais são as principais características dos microrganismos?

Microrganismos não são todos iguais, como ficou claro na apresentação dos diferentes tipos acima. Podem ser encontrados em vários tamanhos e ter diversos modos de vida. Porém, há características comuns a todos eles, como a sua estrutura simples e a impossibilidade de serem vistos pelo ser humano a olho nu.

O conhecimento a respeito dos microrganismos é o resultado de diversas descobertas que foram realizadas no decorrer de muitos anos. Uma das mais importantes aconteceu em 1878. Nesse ano, Pasteur fez a apresentação da sua “Teoria dos Germes”. Foi a partir desse momento que teve início a chamada Era Bacteriológica.

Inúmeros cientistas e médicos acompanharam as pesquisas realizadas por Pasteur. Isso foi essencial para que alguns deles contribuíssem promovendo mudanças através da adição de novos métodos de trabalho. A identificação e observação dos vírus, por exemplo, só se tornou possível após a invenção do microscópio eletrônico.

Áreas de pesquisa da microbiologia

Como ficou evidente ao longo do artigo, a microbiologia é uma área de estudo bastante abrangente e que abre horizontes para diferentes tipos de pesquisa. A seguir vamos apresentar os principais campos de atuação da microbiologia.

Microbiologia médica

Tem como foco de suas pesquisas os microrganismos patogênicos e os objetivos centrais são controlar e prevenir doenças. É uma área relacionada à imunologia.

Microbiologia farmacêutica

Essa área de estudos se concentra nos microrganismos que podem ser utilizados para produzir medicamentos, em especial antibióticos.

Microbiologia ambiental

Os especialistas dessa área da microbiologia se especializam no estudo de bactérias e fungos que têm papel relevante na decomposição da matéria orgânica e dos elementos químicos presentes na natureza. Tem relação com os ciclos biogeoquímicos.

Microbiologia de alimentos

Foca no estudo de microrganismos utilizados pela indústria alimentícia, particularmente para o controle de produção e industrialização de alimentos.

Microbiologia microbiana

Observa com atenção especial os processos envolvidos com manipulação genética e molecular dos microrganismos.

Agora você já conhece as principais características dos microrganismos! Para conferir mais conteúdos de biologia, além de outras disciplinas, acompanhe o blog do Hexag!