Mata Atlântica: fauna e flora

A Mata Atlântica é uma das florestas com maior biodiversidade do mundo, no entanto, é também uma das mais afetadas pela ameaça de extinção. No artigo a seguir iremos explicar com mais detalhes as características desse bioma, com destaque para a sua fauna e flora.

Mata Atlântica: conheça melhor o bioma

O bioma Mata Atlântica ocupa 15% do território nacional e está presente em 17 estados, sendo eles: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Alagoas, Bahia, Ceará, Sergipe e Rio Grande do Norte. 

É interessante observar que 14 dos 17 estados em que a Mata Atlântica está presente são costeiros, essa é uma característica marcante.

Quando os colonizadores portugueses chegaram ao Brasil, o bioma contava com uma área de 1.315.460 quilômetros quadrados. Contudo, devido à exploração demasiada do território resta, atualmente, somente 12,4% dessa área. E 80% desse território está localizado em áreas privadas. 

Estão inseridos nesse bioma mais de 70% da população do Brasil, três das maiores metrópoles da América do Sul e ainda sete das nove grandes bacias hidrográficas do país. Essa floresta tem sido a base de atividades essenciais da economia — como a agricultura, a pesca e o turismo — há vários séculos. Também tem papel determinante para a geração de energia elétrica.

A Mata Atlântica, segundo a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), é uma Reserva da Biosfera. Esse é um modelo que tem como objetivo gerenciar sustentavelmente os recursos naturais de um bioma. Possui esse título desde 2008, a Mata Atlântica foi a primeira Reserva da Biosfera do Brasil que recebeu essa denominação internacional. 

História da Mata Atlântica

Quando os navegantes portugueses chegaram ao Brasil, teve início um processo extenso de destruição da Mata Atlântica, devido à exploração dos seus recursos. A espécie pau-brasil, componente da flora do bioma, foi uma das mais afetadas. A exploração empreendida pelos europeus levou praticamente à sua extinção.

O processo de devastação se iniciou apenas dois anos após a chegada dos portugueses. Em 1502, o território recém-descoberto já era chamado de “Terra Brasilis” por conta da grande quantidade de pau-brasil que possuía. Outras madeiras nobres e abundantes foram extraídas do território, como jacarandá, sucupira, peroba, entre outras. 

Embora houvesse grande presença de povos indígenas no território brasileiro nessa época, a floresta era descrita como densa e quase intocada. Atualmente, o panorama que temos é bastante diferente, a Mata Atlântica está presente em porções pequenas apenas. 

Clima da Mata Atlântica

O bioma da Mata Atlântica se estende por uma faixa bastante extensa do território nacional e, devido a isso, o microclima é alterado de região para região. Porém, é possível observar características de caráter geral em relação ao clima. 

O clima predominante na Mata Atlântica é o tropical úmido. Se caracteriza por temperaturas elevadas e períodos prolongados de chuvas. Não se tem uma definição de períodos de secas. 

É possível encontrar o clima tropical de altitude em algumas regiões específicas, como no sudeste. O clima subtropical úmido pode ser observado na região sul. Embora existam variações pequenas de temperatura e precipitação, se tem como quadro geral calor e bastante chuva. 

Fauna da Mata Atlântica

A Mata Atlântica possui uma das faunas mais abundantes do Brasil. Conta com mais de 350 espécies diferentes de peixes, mais de 800 espécies de aves, 270 espécies de mamíferos, em torno de 400 espécies de anfíbios, além de 200 espécies de répteis. 

Contudo, os animais mais conhecidos da Mata Atlântica estão sob risco grave de extinção. Entre eles estão: onça-pintada, jaguatirica, mico-leão-dourado, arara-azul e tamanduá-bandeira. É importante pontuar que, mesmo atualmente, existem espécies que ainda não foram catalogadas. 

Mesmo existindo faixas restritas do bioma, é possível que, devido à redução desmedida dos habitats naturais, diversas espécies desapareçam sem nem ao menos terem sido descobertas e catalogadas pelos cientistas. 

Flora da Mata Atlântica

Essa é uma das florestas com maior biodiversidade de flores do mundo. Há mais de 20.000 espécies de plantas, algo equivalente a 35% de todas as espécies encontradas no país. 

Para se ter uma ideia, essa diversidade é tão grande que supera, em média, por hectare, a da Amazônia. A Mata Atlântica possui a maior diversidade por unidade de área do mundo. No Brasil, há em torno de 200 espécies de plantas ameaçadas de extinção. Dessas, 117 fazem parte da Mata Atlântica. 

SOS Mata Atlântica

Em 1986, foi criada a Fundação SOS Mata Atlântica, com o objetivo de fazer frente ao grave quadro de risco de extinção de espécies presentes no bioma. Essa é uma organização não-governamental e sem fins lucrativos que possui a missão de conservar a biodiversidade. 

Estão no seu escopo de atividades estimular práticas focadas no desenvolvimento sustentável e a promoção da educação a respeito da floresta. São atividades da fundação realizar projetos de conservação, produção e catalogação de dados para monitorar a fauna e a flora locais. Estudos e campanhas com foco ambiental também compõem a lista. 

A Mata Atlântica é um bioma rico em biodiversidade e que está sob grave ameaça. Para conferir mais conteúdos como este, navegue pelo blog do Hexag!

Retornar ao blog