Lógica: quais são os três princípios básicos?

Há três princípios básicos que regem a chamada lógica clássica, sendo eles: o da Identidade, o da Contradição e o do Terceiro Excluído. Ao longo deste artigo iremos apresentar com mais detalhes cada um desses princípios, tornando assim mais fácil a sua compreensão. 

Afinal, o que é a lógica clássica?

Cabe à lógica estudar e definir as regras do raciocínio correto, no entanto, não lhe compete o estabelecimento dos princípios norteadores das proposições. Quando um predicado é atribuído a um sujeito, temos uma proposição. O raciocínio lógico se dá por meio de proposições que se conectam, isso é o que chamamos de silogismo (explicaremos melhor abaixo). 

Para entender o que é a lógica clássica é essencial diferenciá-la da lógica não clássica. Enquanto propriedade linguística, a lógica não está focada na veracidade dos enunciados, mas sim na sua validade formal lógica.

Basicamente isso significa que se ocupa de encontrar sentido na frase dada à sua estrutura. Por sua vez, a lógica clássica (também conhecida como aristotélica) se sustenta em ter como base seus princípios racionais e em silogismos. 

O que é silogismo?

Silogismo vem do grego antigo συλλογισμός que significa algo como “conexão de ideias” e consiste em um termo filosófico formulado por Aristóteles. Esse termo designa a conclusão deduzida de premissas, isto é, a argumentação perfeita. Dentro da lógica clássica é o argumento dedutivo que respeita os três princípios básicos da lógica. 

Os três princípios básicos da lógica 

Um raciocínio precisa estar alinhado com três princípios básicos para que possa ser considerado lógico. Esses princípios são: princípio da identidade, princípio da não contradição e princípio do terceiro excluído.

O princípio da identidade diz respeito à veracidade das ideias, isto é, dizer que uma mesa é uma mesa, que um livro é um livro etc. Ele assegura que uma proposição é igual a si mesma.

O princípio da não contradição estabelece que uma proposição não pode ser, ao mesmo tempo, falsa e verdadeira. Por fim, o princípio do terceiro excluído determina que uma proposição é falsa ou verdadeira. Vamos conhecer melhor esses três princípios. 

Princípio da identidade

Esse princípio foi formulado por Parmênides de Eléia, um filósofo grego que empreendeu estudos sobre a lógica. A base dessa lei é que todo objeto é idêntico a si mesmo.

Em outras palavras, a = a e b = b. Logo, “a” sempre será igual a “a”, e “b” sempre será igual a “b”. Um exemplo de aplicação prática dessa lei é dizer que uma bola é uma bola. 

Para entender a relevância desse princípio é essencial conceituar identidade como o conjunto de caracteres próprios e exclusivos que ajudam a identificar animais, pessoas e plantas. Embora pareça óbvio, tem grande relevância para a lógica. 

Princípio da não contradição

Esse princípio estabelece que duas afirmações contraditórias não podem ser verdadeiras ou falsas, uma delas é verdadeira enquanto a outra é falsa. Por exemplo, as duas afirmações seguintes não podem ser verdadeiras ao mesmo tempo: “X é Y” e “X não é Y”. Ou é ou não é. 

O princípio da não contradição foi formulado primeiramente por Aristóteles, quando ele afirmou que uma proposição não pode ser verdadeira e falsa ao mesmo tempo. Logo, na lógica clássica nenhuma afirmação pode ser falsa e verdadeira concomitantemente. A lei do terceiro excluído é um complemento da lei da não contradição. 

Princípio do terceiro excluído

Basicamente, o que esse princípio estabelece é que para qualquer proposição há duas possibilidades: ou ela é verdadeira ou a sua negação é verdadeira. Logo, se há duas proposições contraditórias uma delas é verdadeira e a outra é falsa. Ambas não podem ser verdadeiras e nem ambas podem ser falsas. 

Elementos constituintes da lógica

Em linhas gerais, a lógica tem como função investigar o que torna um silogismo verdadeiro, quais são os tipos de proposições do silogismo e os elementos que formam uma proposição. Caracteriza-se por ser mediata, demonstrativa (indutiva ou dedutiva) e necessária. 

Lógicas não clássicas: conheça alguns tipos

Neste artigo falamos a respeito da lógica clássica e dos seus três princípios básicos. Abaixo você poderá conhecer algumas lógicas não clássicas. 

Lógica Fuzzy

Essa lógica, também conhecida como lógica difusa, rejeita a lei do terceiro excluído, de maneira que um valor de verdade pode ser qualquer número real entre 0 e 1. Foi desenvolvida para lidar com o conceito de verdade parcial, ou seja, aquilo que está situado entre o que é completamente verdadeiro ou completamente falso. Essa lógica é aplicada à Inteligência Artificial. 

Lógica Intuicionista

Também chamada de lógica construtivista, a intuicionista foca na justificativa e não somente na verdade. Quando as hipóteses são verdadeiras e justificáveis, então a conclusão também será. Também rejeita a lei do terceiro excluído. 

Lógica Linear 

Caracteriza-se por juntar as dualidades da lógica clássica com as propriedades construtivas da lógica intuicionista. É bastante aplicada a áreas como de linguagem de programação e física quântica. 

Agora você conhece os três princípios básicos da lógica clássica!

Retornar ao blog