Ligação Covalente: Tudo o que você precisa saber

Ligação Covalente é um conteúdo bastante relevante para quem está se preparando para prestar o vestibular ou para a prova do Enem. A seguir vamos explicar tudo o que você precisa saber a respeito desse tema. Boa leitura!

O que é Ligação Covalente?

Também chamada de Ligação Molecular, a Ligação Covalente é um tipo de ligação química em que existe o compartilhamento de um ou mais pares de elétrons entre os átomos com o objetivo de formar moléculas estáveis.

De acordo com a Teoria do Octeto, um átomo se torna estável quando tem 8 elétrons na camada de valência (camada eletrônica mais externa) ou então 2 elétrons no caso de ter somente uma camada. 

A estabilidade é alcançada quando os elementos atingem a configuração eletrônica de um gás nobre. Seguindo essa lógica, os átomos dos elementos como semimetais, ametais e hidrogênio tendem a ganhar elétrons para se tornar estáveis, ou seja, ter 8 elétrons na camada de valência (K). É importante destacar que é um tipo de ligação diferente das ligações iônicas, por exemplo, em que se dá a perda ou ganho de elétrons. 

As ligações covalentes se caracterizam pelo compartilhamento de elétrons. Imagine que há dois átomos de hidrogênio, ambos necessitam de um elétron. Ao invés de fazer uma transferência, como ocorreria na ligação iônica, se faz o compartilhamento de um par de elétrons por meio de uma ligação covalente. Com isso, os dois átomos de hidrogênio se tornarão estáveis.  

Em resumo, a Ligação Covalente nada mais é do que um tipo de ligação química em que há o compartilhamento de pares de elétrons entre átomos que podem ser ametais, semimetais ou hidrogênio. Ligações covalentes podem ser classificadas como: Ligações Covalentes e Ligações Covalentes Dativa.

Exemplos de Ligações Covalentes

Um bom exemplo de Ligação Covalente é a molécula da água (H2O):

H – O – H 

Essa molécula é formada por átomos de hidrogênio e um de oxigênio. Cada traço indica um par de elétrons que está sendo compartilhado, dando origem a uma molécula neutra, já que não existe nem perda e nem ganho de elétrons nesse tipo de ligação. Outros exemplos de ligações covalentes são: O2 (O – O) e F2 (F – F). 

Ligação Covalente Dativa

Essa ligação é também chamada de Ligação Coordenada ou Semipolar. A ligação covalente dativa se dá quando um dos átomos têm seu octeto completo (oito elétrons em cada camada de valência) e o outro precisa de mais dois elétrons para adquirir a estabilidade eletrônica. 

Basicamente, essa ligação ocorre quando um dos átomos compartilha seus elétrons com os outros dois elementos. Um bom exemplo desse tipo de ligação é o Dióxido de Enxofre (SO2): O = S → O. É estabelecida uma dupla ligação do enxofre com um dos oxigênios para que seja possível alcançar a sua estabilidade eletrônica. 

O enxofre ainda doa um par dos seus elétrons para que o outro oxigênio fique com oito elétrons na sua última camada. A seta representa que o enxofre (S) está doando um par dos seus elétrons para o oxigênio (O). 

Quantidade de ligações covalentes dos principais metais e ametais

Lembra que citamos o exemplo do hidrogênio para explicar o que é Ligação Covalente? Nessa explicação mencionamos que ele precisa de um elétron, ou seja, faz uma ligação covalente apenas. Dessa forma, o hidrogênio é monovalente.

A seguir vamos apresentar a quantidade de ligações covalentes que os principais metais e ametais da tabela periódica fazem.

Família 14 (C, Si, Ge)

Possuem 4 elétrons na sua última camada. Logo, precisam receber mais 4 elétrons para chegar à estabilidade.

Tetravalente (faz 4 ligações covalentes normais):

        │

    ─ C ─

       │

Família 15 (N, P, As, Sb)

Possui 5 elétrons em sua última camada. Isso significa que precisa receber 3 elétrons para alcançar a estabilidade. 

Trivalente (realiza três ligações covalentes normais):

        │

    ─ N ─

Família 16 (O, S, Se, Te, Po)

Tem 6 elétrons na sua última camada. Isso quer dizer que precisam receber 2 elétrons para alcançar a estabilidade. 

Bivalente (faz 5 ligações covalentes normais):

    ─ O ─

Família 17 (F, Cl, Br, I, At)

Possuem 7 elétrons em sua camada de valência. Dessa forma, precisam de apenas mais 1 elétron para chegar à sua estabilidade. 

Monovalente (faz apenas uma ligação covalente normal):

    ─ F

A partir do que apresentamos acima, fica mais fácil entender quantas ligações covalentes os elementos de cada família irão realizar. Vamos pensar na molécula do dióxido de carbono (CO2). O carbono faz parte da família 14, ou seja, precisa fazer quatro ligações covalentes para atingir a estabilidade. 

O oxigênio, por sua vez, faz parte da família 16, logo necessita de duas ligações. O carbono realiza o compartilhamento de dois pares de elétrons ou faz duas ligações duplas com cada um dos oxigênios. 

Agora você já sabe o que é Ligação Covalente! Quer conferir mais conteúdos de química? É só navegar pelo blog do Hexag e aproveitar!

Retornar ao blog