Fases da Lua: quais são?

A Lua, assim como a Terra, está girando constantemente em torno do Sol. Paralelamente, o satélite natural também gira em torno da Terra, realizando um movimento chamado de revolução. Tal movimento é realizado por completo a cada 28 dias, o que conhecemos como Ciclo Lunar. As fases da Lua podem ser descritas como as formas com as quais a Lua se “apresenta” para os observadores. Continue lendo para saber mais. 

Quais são as fases da Lua?

Antes de qualquer coisa, é importante esclarecer que a Lua apresenta outros comportamentos, além dos quatro mais conhecidos. Devemos nos atentar para o fato de que ela não possui luz própria. Aquela luz branca vista em sua superfície nada mais é do que o reflexo da luz do Sol. 

Logo, se a Lua está virada para um lado do Sol, somente esse lado será iluminado e apenas ele ficará visível para os observadores da Terra. A parte iluminada vai mudando e, com isso, o formato da Luz parece diferente.

Com essas considerações feitas, podemos concluir que a Lua passa por oito fases: Nova, Crescente, Quarto Crescente, Crescente Gibosa, Cheia, Minguante Gibosa, Quarto Minguante e Minguante. 

Fases da Lua

A seguir apresentaremos as oito fases da Lua com mais detalhes.

1. Lua Nova

A fase de Lua Nova é aquela em que não vemos o satélite natural no céu. Isso acontece porque somente a face que não está voltada para a Terra recebe a luz do Sol. Uma vez que a Lua não tem iluminação própria, não é possível vê-la.

2. Lua Crescente

Essa é a fase em que a Lua começa a aparecer novamente no céu. Como não tem “cantos”, surge com uma aparência côncava. É mais ou menos como se víssemos um sorriso no céu.

3. Quarto Crescente

Nessa fase, a Lua se encontra em uma posição de 90° em relação à Terra. Com isso, a parte iluminada pelo Sol, e visível pelos observadores do planeta, é superior a 34%.

4. Crescente Gibosa

Trata-se da fase de transição entre o Quarto Crescente e a Lua Cheia. A característica mais marcante dessa etapa é o fato de que a Lua parece estar quase completa no céu. Ou seja, quase a vemos totalmente.

5. Lua Cheia

Essa fase é considerada como o momento mais espetacular, do ponto de vista dos observadores do satélite natural. Na fase de Lua Cheia podemos vê-la completa no céu. Nessa etapa do ciclo lunar, toda a face que está voltada para a Terra é iluminada pelo Sol. Essa fase se caracteriza pela Lua ocupando o céu em sua totalidade.

6. Minguante Gibosa

Essa é a fase de transição entre a Lua Cheia e a Lua Minguante. O nome da fase se deve ao fato de que parece que a Lua está diminuindo ou “minguando”. O movimento de órbita do satélite faz com que, a cada dia, uma parte menor seja iluminada pelo Sol. Os observadores veem a Lua com um formato convexo, cada dia menor, no sentido oposto da Crescente Gibosa.

7. Quarto Minguante

Mais uma vez, vemos a Lua pela “metade” no céu, porém, dessa vez no sentido contrário ao Quarto Crescente. O formato acontece, também dessa vez, pela posição da Lua em 90° em relação à Terra. Para que seja mais fácil de entender, podemos dizer que é como se houvesse uma simetria e a Lua estivesse fazendo o caminho de retorno. 

8. Lua Minguante

Essa é a última fase da Lua e podemos ver o satélite se despedindo com um formato côncavo, contrário ao que observamos na fase de Lua Nova. Ela vai “desaparecendo” até chegar à fase de Lua Nova, aquela em que a face voltada para a Terra não é iluminada pelo Sol. O ciclo, então, recomeça.

Curiosidade: quem descobriu as fases da Lua?

Atualmente, temos grande compreensão a respeito das fases da Lua. No entanto, nem sempre foi assim. Para isso, foi necessário que o homem entendesse que a Lua não possui luz própria e que o satélite muda de aspecto pelo fato de descrever uma órbita em volta da Terra. 

Para se ter uma ideia, o historiador e sacerdote babilônico Berosus, que viveu no decorrer do século II a.C., acreditava que as fases da Lua eram resultantes do movimento de rotação do satélite em torno de si mesmo. Para ele, a Lua era uma esfera que possuía um lado com emissão de luz própria e outro totalmente escuro.

Tales de Mileto (632. 546 a.C.), filósofo grego, foi quem descobriu mais sobre as fases da Lua. Em 433 a.C, o astrônomo grego Meton descobriu quais eram as regras pelas quais as fases da Lua mudavam no decorrer do ano. Esse astrônomo foi responsável por determinar o ciclo metônico, assim chamado em sua homenagem. 

Gostou de saber mais sobre as fases da Lua? Para conferir mais conteúdos como este, navegue pelo blog do Hexag!

Retornar ao blog