Debate sobre a gordofobia no Brasil

Nos últimos anos, a gordofobia tem sido mais debatida em nível nacional e, por isso, pode ser um tema de redação de vestibulares ou Enem. No artigo a seguir daremos dicas de como redigir um bom texto tendo como base esse tema. Vamos começar? 

Tema de redação “Debate sobre a gordofobia no Brasil”

O debate a respeito da padronização da beleza e do culto ao corpo vem abrindo espaço para que a população, de maneira geral, possa desconstruir paradigmas há muito construídos. A questão da gordofobia, preconceito contra pessoas fora do padrão, encabeça a lista de discussões que vêm sendo feitas.

Vivemos um momento em que há mais pessoas gordas na televisão, destacando-se como influenciadoras na internet, conquistando melhores cargos no mercado de trabalho, entre outros. No entanto, esse é apenas um pequeno avanço para que essas pessoas possam assumir o protagonismo que lhes é de direito.

Considerando a relevância dessa pauta, exemplificaremos como construir uma boa redação a partir do tema: “Debate sobre a gordofobia no Brasil”. 

Introdução

Nesta primeira parte da redação, é necessário apresentar o ponto de vista que será defendido ao longo dos demais parágrafos. Nesse caso, a problemática da falta de representatividade de pessoas gordas na mídia que se reflete em sua marginalização social, observe:

 

O padrão de beleza foi construído socialmente por décadas através de filmes, novelas, publicidades, entre outros meios da mídia, reforçando o estrato da gordofobia. As mocinhas que mereciam ser salvas e ter um final feliz eram, majoritariamente, magras. Por sua vez, os heróis eram homens de físico atlético e músculos definidos.

Os gordos, quando representados, ficavam com a parcela da comédia, reforçando o estereótipo gordofóbico de que pessoas gordas são desleixadas e desastradas. Logo, a parcela da população que está fora do padrão de magreza é colocada à margem e não encontra respaldo para ter sonhos e ambições na vida, a não ser que emagreça. 

Desenvolvimento

No desenvolvimento é necessário apresentar os argumentos da sua redação. Falaremos sobre a forma como a mídia molda a maneira como enxergamos as pessoas gordas na sociedade (através de exemplos) e os reflexos disso na vida desses indivíduos: 

 

Ao longo de décadas, se popularizou o estigma de que as pessoas que estão acima do peso são menos capazes do que aquelas dentro do padrão. O gordo sempre foi alvo de riso e pena em diferentes formatos midiáticos, desde filmes como “O amor é cego”, de 2001, até seriados como “Insatiable”, de 2018.

Na primeira produção, podemos acompanhar uma história de amor em que um homem enxerga sua amada como uma mulher padrão sob a premissa de ver a beleza do seu interior. Sendo ela uma boa pessoa, é vista como uma mulher bonita, porém, isso significa que sua verdadeira aparência não é bonita também? 

Na série “Insatiable” somos apresentados a uma jovem que, após ter seu maxilar quebrado, emagrece muitos quilos, tornando-se uma garota considerada padrão. Mas, o instinto “gordo” permanece nela, fazendo-a se tornar insaciável em diferentes esferas da sua vida.

Ao trazer uma história em que uma adolescente emagrece após ser agredida e passa a conquistar tudo o que sonhou, qual mensagem está sendo passada? Afinal, ser gordo é tão ruim e limitante que apenas após uma grande transformação é possível conquistar seu espaço na vida?

No Brasil, temos ainda um elemento que contribui para potencializar essa problemática. Diversos veículos de comunicação em massa atuam na disseminação de ódio contra as minorias, em especial quem está fora do padrão do corpo ideal.

A mensagem de que ser gordo é praticamente um crime e culpa do indivíduo por ser desleixado é retransmitida constantemente. Os reflexos são a baixa representatividade de gordos na mídia e a dificuldade que essas pessoas enfrentam para assumir cargos relevantes no mercado de trabalho, mesmo sendo qualificadas para tal.

Conclusão

Na finalização da redação, é importante apresentar soluções para as problemáticas levantadas. No Enem é necessário pontuar uma proposta de intervenção. Nesse exemplo sugerimos que o Ministério da Educação desenvolva um projeto educacional focado em aumentar a empatia e a aceitação entre crianças, adolescentes e jovens. Acompanhe!

 

Estamos cercados de conteúdos que estimulam a visão preconceituosa de pessoas fora do padrão. Logo, é fundamental um trabalho direcionado para a extinção da gordofobia em nosso senso comum.

Se as mídias nos dizem que ser magro é o mais importante e que não existe lugar para pessoas gordas, é imprescindível que haja uma contrapartida educativa. O Ministério da Educação (MEC), responsável pela delimitação dos conteúdos ensinados a crianças, adolescentes e jovens, deve atuar na conscientização do quão prejudicial é para uma nação excluir as suas minorias.

Uma forma de realizar essa conscientização é através da criação de uma disciplina obrigatória para todas as escolas em que o mestre trabalhe com sua turma o desenvolvimento da empatia e do reconhecimento da relevância da diversidade. Ao trabalhar o assunto com as novas gerações será possível alcançar um futuro com menos preconceito e no qual as pessoas gordas possam simplesmente existir sem se sentirem marginalizadas.

Com essas dicas você poderá construir uma excelente redação com o tema “Debate sobre a gordofobia no Brasil” e alcançar uma boa nota!

Retornar ao blog