De onde vêm as línguas?

Você já se perguntou a respeito de onde vêm as línguas? Essa é uma questão bastante interessante de investigar, especialmente quando consideramos as semelhanças entre idiomas de lugares diferentes do globo. No artigo a seguir iremos explicar o que se sabe a respeito dessa origem. Então,vamos começar?

Línguas: de onde elas vêm?

É perceptível que algumas línguas apresentam similaridades, como o espanhol e o português, por exemplo. Embora não sejam idiomas idênticos, é possível estabelecer uma comunicação efetiva entre falantes dessas línguas.

Há casos ainda de línguas que, aparentemente, não têm nenhuma relação entre si, mas que possuem palavras idênticas ou muito parecidas. Esse é o caso do inglês, dinamarquês, alemão e holandês.

Certamente, esses fatos apresentados acima não são resultados de coincidências, mas sim de uma origem comum. A Linguística é a ciência responsável pelo estudo das origens das línguas e de suas semelhanças. Apesar dessa área não se restringir apenas a esses temas, há muitos profissionais dedicados aos mesmos.

Uma das conclusões dos estudos desses cientistas é que existe uma língua-mãe que deu origem às demais. Essa conclusão foi obtida pelos linguistas ao analisar semelhanças entre idiomas bastante distantes, como português, sânscrito, alemão e inglês.

O modelo de língua-mãe é apenas aproximado, no entanto, as pesquisas prosseguem. Esse idioma recebeu o nome de proto-indo-europeu. De acordo com pesquisas recentes, essa língua era falada há cerca de 6 mil anos no continente asiático.

Indo-europeu: maior família linguística

O indo-europeu é a maior família linguística existente, ela se originou do proto-indo-europeu e deu origem ao latim. A língua portuguesa é uma língua românica derivada do latim. Logo, os brasileiros são falantes de uma língua originada do indo-europeu. Fazem parte dessa família ainda o francês, o espanhol e o italiano.

Curiosamente, também fazem parte desse tronco linguístico outras línguas bem diferentes da nossa, como o armênio, o grego, o russo e o alemão. Atualmente, cerca de metade da população mundial – em torno de 3 bilhões de pessoas – falam idiomas derivados do indo-europeu. 

Mas, como nasce uma língua?

Uma língua se caracteriza por ser um conjunto de signos linguísticos organizados com particularidades próprias. Para ser considerado um idioma, esse conjunto deve estar presente em textos de grande circulação, senão é considerado apenas como um dialeto. É importante pontuar que uma nova língua nasce a partir de outra já existente.

Também há casos em que diferentes idiomas se mesclam, dando origem a uma terceira língua. As línguas românicas, por exemplo, se originaram do latim. O processo de nascimento dessas línguas, incluindo o português, aconteceu durante a expansão do Império Romano. Nesse período, o latim passou a ser usado em diversas regiões da Europa.

Contudo, nesse processo não houve a divulgação de uma gramática da língua. O tempo passou e o poderio do Império Romano foi diminuindo, isso acarretou no desenvolvimento do chamado “latim vulgar” de forma autônoma nas diferentes regiões. Assim se originaram 10 línguas distintas. 

Curiosidade

Especialistas em linguística acreditam ser difícil ocorrer uma nova fragmentação como a que deu origem às línguas românicas. Hoje em dia, o inglês é o idioma dominante, sendo falado por pessoas em todo o mundo que conhecem as suas regras gramaticais. 

No entanto, há um caso específico que chama a atenção dos linguistas, o inglês falado na Índia. Cada vez mais diferente do inglês utilizado em outras partes do mundo, pode ser que se torne uma língua nova em algum momento. 

Origem do inglês

O inglês não é uma língua românica, ou seja, ele não é derivado do latim, embora tenha recebido influências. É um idioma do ramo germânico que chegou à Grã-Bretanha através de povos de regiões da Alemanha, Holanda e Dinamarca. 

Nesse período, esses povos se comunicavam pelos dialetos saxão antigo e anglo-frísio que deram origem a língua inglesa. Apesar da gramática ser muito diferente, há muitas semelhanças de palavras entre o inglês, alemão, holandês e dinamarquês.

Origem do chinês

A língua chinesa se originou na pré-história a partir de dialetos, como o cantonês. Somente em 1949 se constituiu uma língua oficial derivada do que se falava em Pequim. 

Origem do grego

Surgiu no século 8 a.C. através de vários dialetos da península Balcânica. É interessante mencionar que o grego foi a primeira língua internacional. Com esse idioma nasceu a filosofia e a cultura do Ocidente. Em alguns idiomas, o grego é usado para nomes científicos e em algumas palavras.

Origem do japonês

Nasceu por volta do século 3, no leste e sul do arquipélago japonês. Nesse idioma há três sistemas de escrita sendo: o katakana, o hiragana e o kanji (ideogramas chineses). Aliás, é por causa disso que japoneses que não falam chinês conseguem ler e entender bastante coisa nessa língua.

Origem do árabe

Os primeiros registros escritos datam do século 5 na Península Arábica. Esse idioma desenvolveu um alfabeto próprio que posteriormente foi adotado pelo persa (Irã) e o pashtu (Afeganistão). O árabe foi responsável pelo desenvolvimento da civilização islâmica em 22 países.

Origem do latim

Esse idioma nasceu por volta do século 7 a.C., na região do Lácio, local em que Roma foi fundada. A língua se expandiu junto com o Império Romano e deu origem a outras 10 línguas. O latim ainda é o idioma oficial do Vaticano. Todas as línguas modernas possuem palavras latinas.

Gostou de saber mais sobre a origem das línguas? Navegue pelo blog do Hexag para conferir mais conteúdos informativos como este!

Retornar ao blog