Como conjugar verbos – O que você precisa saber para o vestibular

O que você sabe sobre verbos? Este é um assunto muito importante para aprender e dominar. Pode ser que você não seja cobrado para fazer a conjugação de um verbo na sua prova do Enem e do vestibular. Ainda assim, esse conhecimento é fundamental para as provas de Língua Portuguesa, já que se trata da classe gramatical mais importante da língua, e também uma das mais complexas em termos de variações, flexões, tempos e modos verbais. 

Conjugar verbos corretamente é essencial, inclusive, para escrever a sua redação. Se você cometer um erro gramatical pode acabar perdendo pontos importantes, que podem comprometer o seu sucesso na avaliação e prejudicar a sua aprovação no vestibular. Por isso, vale a pena acrescentar o assunto no seu plano de estudos.

Calma, não precisa se preocupar. Se você ainda tem dúvidas sobre como conjugar verbos, este artigo veio para ajudar. Preparamos dicas e informações que podem auxiliar na sua preparação. Confira!

O que é verbo

Para explicar o mundo dos verbos, nós contamos com o apoio do professor Bruno Santana, coordenador da Hexag Medicina na unidade Campinas. Segundo ele, o primeiro passo para entender o que a palavra “verbo” pode significar é compreender a Gramática Normativa, que classifica as palavras de diversas maneiras. Uma dessas é a classificação morfológica, a das classes de palavras, que são agrupadas de acordo com as características formais que têm entre si. 

“Sob esse viés, o verbo seria a palavra que se flexiona, isto é, muda de forma, para exprimir cinco tipos diferentes de ideias, como nos ensina o ilustre professor Rocha Lima em sua Gramática Normativa da Língua Portuguesa, a saber, modo, tempo, número, pessoa e voz”, explica Bruno.

Qual é a função dos verbos

Os verbos, a grosso modo, expressam fatos, acontecimentos, ações, ou seja, o que ocorre com os seres. De modo mais específico, também podemos ver sua função ao expressar fenômenos naturais, estados ou mudanças de estados. 

Conjugação de verbos

Como colocado anteriormente, para conjugar um verbo é preciso atentar-se ao fato de que eles variam em modo, tempo, número, pessoa e voz. Abordamos cada uma dessas variações abaixo.

Modo

Os modos, no português brasileiro, são indicativo, subjuntivo e imperativo

– Vendi meu carro. (indicativo)

– Talvez eu venda meu carro. (subjuntivo)

– Venda seu carro hoje! (imperativo)

Tempo

Os tempos são presente, pretérito e futuro, ou, mais especificamente:

– pretérito imperfeito do indicativo

– pretérito perfeito do indicativo

– pretérito mais-que-perfeito do indicativo

– futuro do presente do indicativo

– futuro do pretérito do indicativo

– presente do indicativo

– presente do subjuntivo

– pretérito imperfeito do subjuntivo 

– futuro do subjuntivo

Cabe ressaltar que o imperativo apenas se conjuga no presente. 

Número

Por número, entendem-se as flexões em plural e singular

Exemplo:

– Comi um sorvete muito bom. (singular)

– Comemos um sorvete muito bom. (plural)

Pessoa

Indica as pessoas do discurso:

1ª – eu

2ª – tu

3ª – ele

Voz

A voz pode ser classificada em ativa, passiva e reflexiva

Exemplo:

Vendi aquele carro velho. (voz ativa)

– Aquele carro velho foi vendido por mim. (voz passiva)

– O carro velho era tão bonito que se vendeu sozinho. (voz reflexiva)

A importância dos verbos

Os verbos são as palavras mais importantes de qualquer língua. Conhecer sua morfologia, compreender suas conjugações e conhecer de modo detalhado as diferenças que eles estabelecem nos diferentes gêneros textuais é essencial para um bom desempenho nas questões de Gramática, Literatura e Interpretação de textos, além da escrita da Redação. 

O que cai no vestibular

Os vestibulares que se ocupam da Gramática Normativa, como PUCCAMP, FUVEST e os feitos pela FUNDAÇÃO VUNESP, tendem a cobrar conjugações verbais, vozes verbais e muita análise sintática, para qual o conhecimento profundo da natureza dos verbos é essencial. 

Provas como a da Unicamp e do Enem, que se ocupam da linguística, podem exigir do candidato a compreensão mais específica dos tempos verbais na criação de diferentes sentidos e na elaboração dos gêneros textuais. Nesses casos, poderíamos pensar nos usos do imperativo em textos injuntivos, as diferentes formas do indicativo nas narrativas ficcionais ou até mesmo a forma como os verbos aparecem nas manchetes. 

Variação linguística

Nunca é demais ressaltar que a mídia, muitas vezes motivada pela procura por matérias altamente vendáveis, criou alguns nomes para fenômenos gramaticais como o “gerundismo” e o “subjuntivo paulista”. Tais fenômenos podem ser cobrados de maneira muito interessante pelos vestibulares. Entretanto, fique atenta e atento: vestibulares como a Unicamp e o ENEM não pediriam dos candidatos apenas o olhar da gramática normativa, cobrando, sim, o uso desses conhecimentos para a compreensão da variação linguística.

Agora você já sabe como conjugar verbos e quais são as informações mais importantes sobre este assunto para se dar bem na prova de Língua Portuguesa. Se quiser ficar por dentro de diversos assuntos relacionados à preparação para o Enem e o vestibular, acesse o Blog do Hexag Online e confira uma série de dicas e informações.

Retornar ao blog