O que é cadeia alimentar?

A cadeia alimentar consiste em uma sequência linear de transferência de matéria e energia dentro de um ecossistema. No artigo a seguir iremos explicar o conceito e como o processo começa e termina. Esse é um tópico recorrente nas provas de vestibular e do Enem. Boa leitura!

Entenda o que é cadeia alimentar 

Em linhas gerais, a cadeia alimentar consiste em uma sequência linear de transferência de matéria e energia dentro de um ecossistema. O conceito pode ser chamado também de cadeia trófica e se caracteriza pelo fato de haver uma sequência de organismos que servem de alimento para os outros. 

sequência começa com um produtor e termina com um decompositor. Trata-se de uma transferência unidirecional. 

Cadeias alimentares: conheça os organismos que as compõem

Cadeias alimentares são formadas por organismos que podem ser distribuídos em três categorias, entenda melhor a seguir. 

Produtores

Os organismos enquadrados na categoria de produtores são aqueles capazes de produzir seu alimento, isto é, são seres autotróficos. Esses seres são encontrados no começo da cadeia trófica e geralmente estão representados por organismos fotossintetizantes, como, por exemplo, algas e plantas. 

Consumidores

Nessa categoria estão os organismos heterotróficos, ou seja, aqueles que precisam se alimentar de outros organismos. Consumidores podem ser primários, secundários, terciários e assim sucessivamente. 

Os consumidores que se alimentam dos produtores são consumidores primários. Por sua vez, os consumidores secundários são aqueles que se alimentam dos primários. Já os terciários são aqueles que se alimentam dos secundários e assim sucessivamente. 

Decompositores

Os decompositores são os organismos responsáveis pela decomposição da matéria. No processo de decomposição, esses seres retiram a energia de que precisam para sobreviver da matéria orgânica morta e devolvem para o meio substâncias relevantes. 

Podemos citar como exemplos de decompositores fungos e bactérias. Ressaltamos que eles atuam em todos os seres vivos da cadeia e, devido a esse fato, nem sempre são representados na cadeia alimentar. 

Conhecendo mais sobre os componentes da cadeia alimentar fica mais fácil de compreender que cada um dos grupos apresenta necessidades alimentares em comum. Os produtores de um ecossistema têm como principal característica serem autotróficos. 

Já os consumidores primários se caracterizam por se alimentar dos produtores. Sendo assim, cada grupo de organismos tem necessidades parecidas e esses conjuntos recebem o nome de nível trófico. 

Exemplos de cadeias alimentares

A seguir apresentaremos dois exemplos de cadeias alimentares, sendo uma cadeia alimentar terrestre e uma cadeia alimentar aquática. 

Cadeia alimentar terrestre

Planta > Rato > Cobra > Gavião

Nesse exemplo, a cadeia alimentar terrestre é formada por uma planta, um rato, uma cobra e um gavião. Na categoria de produtor, temos a planta, uma vez que ela é capaz de produzir seu próprio alimento através do processo de fotossíntese. O rato é o consumidor primário, pois se alimenta da planta. 

Em seguida, temos a cobra que, ao se alimentar do rato (consumidor primário), torna-se o consumidor secundário. O gavião entra nessa equação como o consumidor terciário ao se alimentar da cobra. Nessa cadeia os decompositores não foram representados. 

Cadeia alimentar aquática

Fitoplâncton > Krill > Pinguim > Foca

Essa cadeia alimentar tem o fitoplâncton como produtor, pois esses organismos são fotossintetizantes (produzem seu próprio alimento). O krill se alimenta do fitoplâncton, então é o consumidor primário dessa cadeia. Já o pinguim se alimenta do krill, sendo o consumidor secundário. Na categoria de consumidor terciário temos a foca, que se alimenta do pinguim. 

Extinção de espécies: qual é o impacto na cadeia alimentar?

A cadeia alimentar se caracteriza por representar as relações de alimentação que existem em um ecossistema. Em outras palavras, ao analisar uma cadeia alimentar podemos identificar qual ser vivo serve de alimento para o outro.

Partindo dessa observação, fica evidente o impacto negativo que a extinção de espécies tem na cadeia alimentar. Quando um ser vivo, que seria o alimento de outro, deixa de existir, gera problema de manutenção do ciclo. 

Vamos retomar o exemplo da cadeia alimentar terrestre que apresentamos acima. Imagine que a cobra foi extinta, esse fato levaria a alterações consideráveis nessa cadeia alimentar. Em primeiro lugar, haveria o aumento da população de ratos, pois não haveria mais o seu predador. O número maior de ratos levaria à redução das plantas, que são o seu alimento.

A população de gaviões também seria afetada sendo reduzida, haja vista que não há mais o seu alimento, as cobras. No decorrer do tempo a população de ratos levaria a redução significativa de plantas e isso levaria a uma redução de alimento que, por sua vez, diminuiria o número de ratos. Basicamente, todos os seres vivos seriam afetados negativamente pela extinção das cobras. 

Cadeia alimentar representa o ecossistema? 

Neste artigo explicamos que cadeia alimentar é conceito linear, então não apresenta a complexidade verdadeira de um ecossistema. Por exemplo, um animal em um determinado ambiente pode ser consumidor secundário e terciário ao mesmo tempo. 

Dessa forma, a representação mais indicada para apresentar essa complexidade é a da teia alimentar. As teias alimentares possuem diversas cadeias alimentares conectadas e acontecendo ao mesmo tempo. 

Gostou de saber mais sobre a cadeia alimentar? Para conferir mais conteúdos como este, navegue pelo blog do Hexag!

Retornar ao blog