O que é ácido muriático?

O ácido muriático é mais conhecido como ácido clorídrico e tem como características mais marcantes ser tóxico e ter elevado poder corrosivo. No artigo a seguir iremos explicar com mais detalhes no que consiste esse ácido, quais são as suas propriedades, aplicações, ações no organismo e perigos. Boa leitura! 

Entenda o que é ácido muriático

O ácido clorídrico ou ácido muriático é um hidrácido que apresenta elevado potencial de ionização. Consiste em um líquido de aspecto amarelado, tóxico e com alto poder corrosivo. Esse ácido é muito utilizado em processos industriais, como o fabrico de cloridratos farmacêuticos e produtos de limpeza, em processos de siderurgia e em alimentos. 

Uma curiosidade é que o ácido muriático está presente também no organismo do ser humano. Juntamente com outras substâncias, ele compõe o suco gástrico, uma solução responsável pela digestão de proteínas. Ingerir, inalar ou ser exposto ao ácido clorídrico concentrado gera reações bastante nocivas no organismo, podendo levar inclusive a óbito. 

Ácido muriático: conheça as suas propriedades

Confira abaixo as principais propriedades do ácido clorídrico (muriático):

– É um composto inorgânico

– É um ácido forte; 

– Apresenta elevado potencial de ionização;

– Possui coloração amarelada;

– É líquido; 

– É volátil;

– É tóxico;

– É corrosivo; 

– É higroscópico (significa que apresenta tendência a absorver água do ambiente); 

– É solúvel em água

Como o ácido muriático é produzido?

O alquimista muçulmano Jabir Ibne Haiane (conhecido como Gaber e tido como “Pai da química árabe”) foi o descobridor do ácido muriático. Ele sintetizou esse ácido usando como base uma reação entre o sal marinho (NaCl) e o ácido sulfúrico (Na2SO4).

2NaCl + H2SO4 → Na2SO4 + 2HCl

O ácido muriático, atualmente, é produzido em grande escala através da eletrólise de cloreto de sódio em solução aquosa. É através desse processo que se obtém o gás cloro (Cl2), o gás hidrogênio (H2) e o hidróxido de sódio (NaOH). A reação dos gases cloro e hidrogênio forma o ácido clorídrico: 

Cl2 + H2 → 2HCl

Contudo, essa é uma reação extremamente exotérmica que oferece grande perigo. Hoje em dia, boa parte do ácido muriático produzido industrialmente está relacionado com a produção de compostos orgânicos. Esse é um processo mais seguro e econômico. 

R-H + Cl2 →  R-Cl + HCl

(Nesse caso, considere R como sendo um radical orgânico). 

Esse ácido é comercializado na concentração de 37% de massa. 

Quais são as aplicações do ácido muriático?

Confira a seguir algumas das principais aplicações do ácido clorídrico. 

Para decapagem de metais

Esse ácido é utilizado para “limpar” metais antes de eles serem processados. O objetivo é remover a ferrugem, crosta e demais impurezas que estejam concentradas na superfície. 

Para produzir compostos orgânicos

O ácido muriático é utilizado como reagente para a obtenção de cloreto de vinila, bastante usado no fabrico de plásticos. Esse ácido também pode ser usado para a produção de cloropreno, utilizado em borrachas sintéticas. 

Para produzir compostos inorgânicos

O ácido clorídrico é utilizado em diversos processos industriais, como o fabrico de reagentes e compostos inorgânicos. Podemos citar os produtos destinados ao tratamento da água como o cloreto de alumínio e cloreto de ferro (III). 

Utilizado como produto de limpeza

O ácido clorídrico é comercializado sob o nome de ácido muriático para a realização de limpezas de áreas pós-construção civil e também para limpezas domésticas. Também é utilizado para limpar química de maquinário e ferramentas. 

Para processamento de alimentos

Esse ácido é utilizado para uma série de reações de produção de alimentos e aditivos, como a hidrólise de proteínas ou de amido. Ou ainda no produto final para equilibrar o pH. 

Para produzir medicamentos

Esse ácido é utilizado para a produção de cloridratos solúveis que são encontrados em alguns medicamentos, como o cloridrato de doxiciclina (utilizado para tratar varíola e febre tifoide). 

O ácido muriático no organismo

Como já mencionamos, esse ácido está presente no organismo humano como um dos componentes do suco gástrico sintetizado pelo estômago. O suco gástrico é composto por ácido clorídrico, água, enzimas, sais inorgânicos e uma porcentagem ínfima de ácido lático. 

As proteínas são digeridas quando o bolo alimentar é convertido em quimo (massa de caráter ácido em decorrência do suco gástrico e da sua composição ácida). Elas são então convertidas em polipeptídeos e aminoácidos que serão absorvidos pelo organismo.

Quais são os perigos do ácido clorídrico?

Por ser um ácido forte e bastante corrosivo, o ácido muriático, pode causar diversas danos a saúde como: 

– Queimaduras e irritação na pele; 

– Irritação severa nos olhos que pode levar à cegueira; 

– Irritação e feridas nas vias aéreas superiores se inalado; 

– Em caso de ingestão, acarreta em corrosão de todo o sistema bucal. Já no trato gastrointestinal pode causar diarreia, hemorragias, vômitos, má circulação e levar à morte. 

– Se houver exposição contínua, primeiramente serão afetadas as zonas de mucosa, causando dermatite e conjuntivite. Também gera sangramento nas gengivas e fotossensibilização. A inalação frequente, mesmo que em baixa concentração, pode levar a quadros de sangramento nasal e gastrite. 

O ácido muriático (clorídrico) é bastante perigoso. Para conferir mais conteúdos como este, navegue pelo blog do Hexag!

Retornar ao blog